O vestido de branco de Marilyn Monroe levantado por um respiradouro do metro é uma das imagens mais icónicas do filme “O Pecado Mora ao Lado”. Mas é também uma das principais fotografias captadas pela lente do fotógrafo Sam Shaw. Esta e outras 214 imagens vão estar expostas no Centro Cultural de Cascais a partir de sexta-feira, em retrospetiva dos 60 anos de carreira do nova-iorquino, falecido em 1999, aos 87 anos.

A exposição “Sam Shaw: 60 Anos de Fotografia” inclui imagens tão célebres quanto Marlon Brando de t-shirt rasgada no filme “Um Eléctrico Chamado Desejo”, de 1951. Sam Shaw imortalizou com a sua máquina fotográfica as estrelas da indústria cinematográfica, músicos, artistas, escritores e intelectuais, como Alfred Hitchcock, Woody Allen e Marcel Duchamp.

Mas também se dedicou a outro tipo de fotojornalismo, nomeadamente ao retrato da vida americana. Viajou pelo interior dos Estados Unidos e tanto documentava músicos de jazz de Nova Orleães como mineiros de carvão da Virgínia, o movimento dos direitos humanos no Missouri, os barqueiros do Mississippi e também cenas de crime. Nos anos 1950 e 1960, fez capas das revistas Life e Look.

O Shaw Family Archives elegeu o Centro Cultural de Cascais como ponto de partida para a digressão europeia desta retrospetiva que inclui, para além das 215 fotografias, alguns objetos como cartas, revistas e passaportes. “Sam Shaw: 60 Anos de Fotografia” fica no Centro Cultural de Cascais, entre 11 de setembro de 2015 e 8 de novembro de 2015, de terça-feira a domingo das 10ho0 às 18h00. A entrada custa três euros.