A Red Bull anunciou hoje que vai abandonar a Fórmula 1 caso não arranje motores que deem garantias de competitividade às suas equipas, Red Bull Racing e Toro Rosso, na próxima temporada.

“Se não tivermos um motor com garantias de competir, a Red Bull não vai estar presente na Fórmula 1”, disse hoje um dos consultores da escuderia, Helmut Marko.

Marko referiu ainda que a Ferrari podia evitar que a Red Bull Racing e a Toro Rosso abandonassem a competição se lhes fornecessem motores de qualidade, mas sublinhou que uma alternativa de potência inferior “não é uma opção”.

Carlos Ghosn , presidente da Renault, que fornecia motores à Red Bull desde 2007, afirmou na quarta-feira que vai deixar de equipar escuderias de Fórmula 1 em 2016.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Alertámos os responsáveis da Fórmula 1 para não contarem connosco como fornecedores. Acabou”, disse o presidente da Renault.

A Mercedes também se recusou a disponibilizar motores à equipa do ‘touro vermelho’, assim como outros fabricantes que não integram à competição, como a Volkswagen e a BMW, que também responderam negativamente ao apelo da Red Bull.