A noite europeia dos investigadores tenta hoje juntar ciência e cidadãos na rua, para mostrar, com um programa pensado para todas as idades, que o que se faz nos laboratórios tem impacto na vida de todos.

Esta sexta-feira, entre as 19h00 e a meia-noite, quem passar pelo Jardim do Príncipe Real e pelo Museu de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa vai poder participar em mais de 80 atividades criadas para integrar o programa da noite europeia dos investigadores, que este ano assinala o seu 10.º aniversário.

Quase 400 investigadores, de cerca de 60 instituições científicas representadas no evento, entre as quais várias universidades, associações científicas, laboratórios de Estado e a Fundação para a Ciência e Tecnologia, vão levar a ciência para a rua, para criar uma proximidade com os cidadãos e mostrar-lhes de que forma aquilo que fazem nos laboratórios tem influência no dia-a-dia de toda a gente.

O tema deste ano é a “Ciência Cidadã”, e pretende-se criar “um envolvimento dos cidadãos em projetos científicos”, explicou a coordenadora do projeto, Cristina Luís.

Financiada pela Comissão Europeia, a noite europeia dos investigadores vai decorrer em várias cidades europeias. Em Portugal a iniciativa é organizada, em consórcio, pela Universidade de Lisboa, Câmara Municipal de Lisboa e Universidade de Coimbra, sendo que para a cidade de Coimbra também há um programa de atividades programadas para esta noite.

Mais a norte, em Braga, no Museu D. Diogo de Sousa, a Escola de Ciências da Universidade do Minho também organiza, entre as 15:00 e as 24:00, “dezenas de atividades para todas as idades e com entrada gratuita”, como “demonstrações, palestras, workshops, speed dating com cientistas, entre outras iniciativas relacionadas com as áreas da Biologia, Física, Ciências da Terra, Matemática e Química”.

Quem quiser participar vai poder, entre outras coisas, debater ciência com os investigadores, e perceber como a ciência pode ser útil em temas tão atuais como a crise de refugiados na Europa, fazer uma viagem ao passado com atividades sobre arqueologia e dinossauros, ou até, com ajuda do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, descobrir numa “bússola eleitoral” o quadrante político em que se enquadra.

Há animação extra ciência prevista para o Jardim do Príncipe Real, com danças tradicionais europeias e algum exercício físico, e às 22:00 propõe-se um brinde ao 10.º aniversário da iniciativa.

No dia 26 de setembro haverá ainda atividades no Observatório Astronómico de Lisboa, entre as 20:30 e a 01:00, com um programa centrado na astronomia.

A entrada em qualquer das atividades na noite europeia dos investigadores é gratuita.