horas

São as horas a que fecham as urnas. A contagem dos votos começa às 20h (horário do continente) devido à diferença horária dos Açores.

Eleitores1

Este é o número de pessoas recenseadas, incluindo eleitores residentes em território nacional e inscritos nos círculos da Europa e Fora da Europa, segundo a secretaria-geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI).

Forças políticas

Este é o número de forças políticas a ir a votos no próximo dia 4 de outubro, três das quais coligações e as restantes 13 partidos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nas coligações, contam-se a Coligação Democrática Unitária (CDU), que junta PCP e PEV, a coligação Portugal à Frente, com PSD e CDS-PP e a coligação Agir, que alia o Movimento Alternativa Socialista (MAS) ao Partido Trabalhista Português (PTP).

Os partidos políticos são: Partido Socialista (PS), Bloco de Esquerda (BE), Livre/Tempo de Avançar, Juntos pelo Povo (JPP), Nós, Cidadãos! (NC), Portugal pro vida, Cidadania e Democracia Cristã (PPV/CDC), Partido da Terra (MPT), Partido Democrático Republicano (PDR), Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP), Partido Nacional Renovador (PNR), Partido Unitário dos Reformados Portugueses (PURP), Partido Popular Monárquico (PPM) e Pessoas-Animais-Natureza (PAN).

Milhões em campanha

Estes são os milhões de euros que, no total, os partidos e coligações afirmam que pretendem gastar na campanha para as legislativas de 4 de outubro.

  • Coligação Portugal à Frente (PSD e CDS-PP em Portugal continental e nos círculos da emigração): 2,8 milhões de euros
  • PS: 2,6 milhões de euros
  • CDU (coligação do PCP e Os Verdes): 1,5 milhões de euros
  • BE: 600.000 euros

Milhões do Estado

Estes são os milhões que custam ao Estado organizar as eleições legislativas. As verbas mais significativas destinam-se ao pagamento dos membros das mesas de voto e indemnizações às estações de rádio e televisão pela emissão dos tempos de antena”.

Cada membro das mesas de voto ganha 50 euros.

Mesas de voto

São estas as mesas de voto espalhadas pelo país, compostas por cinco membros. Os presidentes das câmaras municipais definem os locais onde são instaladas as mesas de voto.

Deputados

Este é o número de deputados eleitos pelos portugueses, divididos em 22 círculos (18 no continente, duas regiões autónomas e círculos da emigração – Europa e Fora da Europa)

O círculo eleitoral de Lisboa é aquele onde são eleitos mais deputados, 47, seguindo-se o Porto, com 39.

Círculos

É o número de círculos eleitorais pelos quais se distribuem os deputados:

  • Aveiro: 16 deputados
  • Beja: 3 deputados
  • Braga: 19 deputados
  • Bragança: 3 deputados
  • Castelo Branco: 4 deputados
  • Coimbra: 9 deputados
  • Évora: 3 deputados
  • Faro: 9 deputados
  • Guarda: 4 deputados
  • Leiria: 10 deputados
  • Lisboa: 47 deputados
  • Portalegre: 2 deputados
  • Porto: 39 deputados
  • Santarém: 9 deputados
  • Setúbal: 18 deputados
  • Viana do Castelo: 6 deputados
  • Vila Real: 5 deputados
  • Viseu: 9 deputados
  • Açores: 5 deputados
  • Madeira: 6 deputados
  • Europa: 2 deputados
  • Fora da Europa: 2 deputados

Relativamente a 2011, o círculo eleitoral de Santarém vai eleger menos um deputado nas legislativas de outubro, ganhando Setúbal mais um lugar no parlamento, de acordo com o mapa aprovado pela Comissão Nacional de Eleições (CNE).

Candidatos

É o total de candidatos a deputados nestas eleições. Destes, 3.456 são efetivos e 1.076 são suplentes, segundo a Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI).

Mais eleitores

As 10 freguesias com mais eleitores são:

  • União das Freguesias de Cascais e Estoril (Cascais, Lisboa): 55.617 eleitores
  • Algueirão – Mem Martins (Sintra, Lisboa): 53.158 eleitores
  • Odivelas (Odivelas, Lisboa): 51.499 eleitores
  • União das freguesias e São Julião da Barra, Paço de Arcos e Caxias (Oeiras, Lisboa): 50.929 eleitores
  • São Domingos de Rana (Cascais, Lisboa): 46.637 eleitores
  • União das freguesias de Mafamude e Vilar do Paraíso (Vila Nova de Gaia, Porto): 45.909 eleitores
  • União das freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas (Almada, Setúbal): 45.536 eleitores
  • Rio Tinto (Gondomar, Porto): 44.639 eleitores
  • União das freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora (Matosinhos, Porto): 44.638 eleitores
  • São Sebastião (Setúbal, Setúbal): 44.263 eleitores.

Os 10 concelhos com mais eleitores são:

  • Lisboa: 496.743 eleitores
  • Sintra: 306.372 eleitores
  • Vila Nova de Gaia: 263.258 eleitores
  • Porto: 216.038 eleitores
  • Cascais: 174.361 eleitores
  • Loures: 165.382 eleitores
  • Braga: 161.711 eleitores
  • Matosinhos: 150.978 eleitores
  • Almada: 148.762 eleitores
  • Oeiras: 145.197 eleitores

Menos eleitores

As 10 freguesias com menos eleitores são:

  • Mosteiro (Lajes das Flores, Açores): 29 eleitores
  • Caveira (Santa Cruz das Flores, Açores): 68 eleitores
  • Fajãzinha (Lajes das Flores, Açores): 71 eleitores
  • Lajedo (Lajedo das Flores, Açores): 98 eleitores
  • Cedros (Santa Cruz das Flores, Açores): 130 eleitores
  • São João do Peso (Vila de Rei, Castelo Branco): 136 eleitores
  • Lomba (Lajes das Flores, Açores): 146 eleitores
  • Pessegueiro (Pampilhosa da Serra, Coimbra): 152 eleitores
  • Madeirã (Oleiros, Castelo Branco): 155 eleitores
  • Desejosa (Tabuaço, Viseu): 156 eleitores

Os 10 concelhos com menos eleitores são:

  • Corvo (Açores): 338 eleitores
  • Lajes das Flores (Açores): 1.279 eleitores
  • Barrancos (Beja): 1.389 eleitores
  • Santa Cruz das Flores (Açores): 1.919 eleitores
  • Alvito (Beja): 1.938 eleitores
  • Mourão (Évora): 2.293 eleitores
  • Alcoutim (Faro): 2.649 eleitores
  • Arronches (Portalegre):2.669 eleitores
  • Monforte (Portalegre): 2.741 eleitores
  • Fronteira (Portalegre): 2.805 eleitores

data limite

A data limite para a chegada dos votos dos emigrantes portugueses é 14 de outubro a Portugal, para que possam ser contabilizados.