O site Football Leaks voltou a atacar, publicando vários documentos referentes ao futebol português. O Sporting voltou a ser visado, já que foram publicados vários documentos oficiais relativos ao clube.

Carrillo: 12 milhões do Leicester, 9 do Bournemouth

Já se sabia que o Sporting tinha recebido uma proposta do Leicester pelo concurso do extremo peruano André Carrillo. O que não se sabia é que o Bournemouth, do mesmo escalão do campeonato inglês, também esteve interessado.

Os contratos de proposta, publicados esta quarta-feira, revelam uma proposta de 12 milhões de euros mais objetivos apresentada pelo Leicester a 31 de Agosto, uma proposta aliás já reconhecida pelo Sporting, que a afirma até ter aceite.

A proposta do Bournemouth, por sua vez, era desconhecida: o documento publicado revela que o clube inglês se propunha no dia 1 de Setembro a pagar nove milhões de euros pela contratação de André Carrillo.

No documento consta a resposta Sporting, que apresenta uma contra-proposta de 15 milhões de euros pelos direitos desportivos e por 75% dos direitos económicos do jogador peruano. A somar a este valor (pago em três tranches, a primeira de nove milhões e as duas seguintes de três milhões cada, que seriam pagos em 2016 e 2017) encontram-se ainda um conjunto de cláusulas. Uma delas apresentava uma indeminização de 30 milhões de euros, que seria paga pelo Bournemouth, caso Carrillo fosse vendido a Benfica, Porto ou Braga nas próximas cinco temporadas.

Sporting: a “caça ao sponsor”

Outro dos documentos refere-se à procura de patrocinador, num documento que o site apelida de “Caça ao sponsor”. O documento publicado esta quarta-feira no site revela um folheto promocional de 20 páginas, enviado pelo Sporting a entidades nacionais e internacionais. O folheto enuncia vários argumentos para convencer e angariar um patrocinador a pagar 2.5 milhões de euros por época, o valor exigido pelo clube de Alvalade. Entre os argumentos constavam a qualidade do futebol formação do clube, a presença (esperada) na Liga dos Campeões e as várias possibilidades que o patrocinador tinha para se promover dentro do estádio José Alvalade.

Sobre o mesmo tema, o Football Leaks publica ainda uma resposta vinda da Quatar Airways, enviada ao Diretor Comercial e de Marketing do Sporting, António Sério da Costa. Na missiva, a empresa, que também patrocina o FC Barcelona, rejeita patrocinar os leões, afirmando que a rejeição se deve a “compromissos anteriores” e à falta de vontade em associar-se a mais clubes de futebol.

Troca Miguel Lopes/Marat Izmailov

No dia 8 de Janeiro de 2013 os sportinguistas e portistas eram surpreendidos com a confirmação de um negócio inesperado: Porto e Sporting decidiam trocar entre si dois jogadores. O russo Marat Izmailov seguia para o Dragão, enquanto o lateral português Miguel Lopes chegava a Alvalade.

Esta quarta-feira, a Football Leaks publica o contrato de cedência dos dois jogadores, que traz algumas novidades. Uma delas é que o FC Porto tinha uma cláusula de recompra sobre o jogador português: por 8 milhões de euros, os dragões podiam recuperar o concurso de Miguel Lopes a partir de Julho de 2014.

Outra nota: se o Porto estava obrigado a vender Marat Izmailov por uma proposta igual ou superior a cinco milhões de euros, o Sporting comprometia-se a vender Miguel Lopes se lhe chegasse uma proposta igual ou superior a 10 milhões de euros. Caso os dragões recusassem teriam de pagar 2,5 milhões de euros aos leões, e se o Sporting recusasse teria de pagar cinco milhões de euros ao FC Porto.

Mas as cláusulas de saída não se ficavam por aqui. Se Izmailov saísse do Porto a custo zero os dragões teriam de pagar ao Sporting 2,5 milhões de euros. Se, por sua vez, Miguel Lopes saísse do Sporting a custo zero, os leões comprometiam-se a pagar 5 milhões de euros aos rivais. Isto é, novamente o dobro.

Documentos são verdadeiros?

Esta terça-feira Bruno de Carvalho esteve presente no programa “Prolongamento”, da TVI24, e afirmou que alguns documentos publicados pelo Football Leaks eram verdadeiros, outros manipulados e outros ainda “uma treta”.

A Football Leaks reagiu no seu site, afirmando que “todos os documentos publicados no Football Leaks são genuínos” e que “não existiu nenhum tipo de manipulação”. Quem terá razão está ainda por apurar.