Quando pensamos que já tudo foi feito em marketing, eis que surge mais uma surpresa: os criativos da marca mais cara de conhaque do mundo, Louis XIII, resolveram desafiar John Malkovich e Robert Rodriguez para conceberem um filme que levasse o mesmo tempo a estrear que o conhaque leva a amadurecer. Assim surge “100 Anos”. Aqui está uma longa-metragem que não tem a pressão de ser um blockbuster no seu lançamento.

Ao jornal Independent, John Malkovich revela que, quando lhe fizeram a proposta, pensou: “Isto é uma grande ideia. Deveria ter sido o destino de alguns filmes que fiz!”. Já o realizador Robert Rodriguez garantiu que o filme é “muito elegante, carregado de emoção” e revela bem “a escrita de John”.

O secretismo à volta do filme é muito. Sabe-se apenas que o guião foi escrito por John Malkovich e que retrata a visão que o actor tem do futuro no planeta Terra. A actriz principal é Shuya Chang. O realizador, Robert Rodriguez, é o mesmo de “Sin City”, “Machete” e “Era uma vez no México”. Se o filme é bom, nunca o saberemos: estão a ser enviados convites para a estreia a mil pessoas, que os deverão transmitir aos seus bisnetos.

Então, e como é que se consegue evitar uma fuga de informação? O filme está fechado num cofre, não a sete chaves, mas com um dispositivo que só abre daqui a 100 anos. A contagem decrescente já começou, esperamos que até lá não morra de curiosidade.

Veja aqui os três teasers do filme, mas atenção: nenhum deles tem imagens da obra propriamente dita: