Os festivais de música realizados este ano em Portugal somaram mais de 1,8 milhões de espectadores, de acordo com dados compilados e revelados pela Associação Portuguesa dos Festivais de Música (Aporfest).

Numa altura em que as promotoras de festivais preparam o ano de 2016, com anúncios de bandas e venda de bilhetes, a associação faz um balanço do que aconteceu este ano, tendo contabilizado 210 festivais de música.

O Meo Sudoeste, na Zambujeira do Mar, com 188.000 espectadores em cinco dias de concertos, foi o que registou mais público, seguindo-se o Nos Alive (Algés), com 155.000 espectadores em três dias, e o festival do Crato (Portalegre), com 100.000 em quatro dias.

De acordo com a Aporfest, o número de 210 festivais deverá ser revisto, porque algumas promotoras não comunicaram ainda a realização de festivais. No entanto, o número representa um aumento de realização de eventos, comparando com os 156 festivais realizados em 2014.

Este ano aconteceram 58 novos festivais, entre os quais o Caixa Ribeira, no Porto, e o Piknic Eléctronik Lisboa, mas houve 31 festivais que em 2015 não tiveram qualquer edição, como o Fusing, na Figueira da Foz.

O calendário de festivais de 2016 conta já com várias datas anunciadas e cabeças-de-cartaz revelados.

O Boom Festival, que é bienal e acontecerá no concelho de Idanha-a-Nova de 11 a 18 de agosto de 2016, é o primeiro a esgotar, tendo vendido os bilhetes via Internet em 34 dias.

Foram já anunciadas a datas de festivais como Rock in Rio Lisboa (20, 21, 26, 27 e 28 de maio), Nos Primavera Sound (de 09 a 11 de junho, Porto), Sumol Summer Fest (24 e 25 de junho, Ericeira), Nos Alive (07, 08 e 09 de julho, Algés), Meo Marés Vivas (14 a 16 de julho, Gaia), Super Bock Super Rock (14 a 16 de julho, Lisboa), Meo Sudoeste (03 a 07 de agosto, Zambujeira do Mar), Vodafone Paredes de Coura (de 17 a 20 de agosto), Bons Sons (12 a 15 de agosto, Cem Soldos) e Reverence Festival Valada (08 a 10 de setembro, Cartaxo).