A agência espacial norte-americana (NASA) anunciou na última semana que está cada vez mais próxima de construir um motor feito com impressão 3D. De acordo com a gestora de projetos, Elizabeth Robertson, a primeira série de testes realizados foi concluída com êxito. “Nós construímos e testamos cerca de 75 por cento das peças necessárias para construir um motor de foguetão feito com impressão 3D. Ao testar as bombas, injetores e válvulas juntas, mostramos que é possível construí-lo para múltiplos fins, como veículos de aterragem e motores para propulsão de naves espaciais”, explicou.

Nick Case, um dos engenheiros responsáveis pelos testes, explicou a importância das experiências. “O que importa é que todas as partes funcionem da mesma maneira como fazem num motor convencional e trabalhem sob as temperaturas extremas e pressões encontradas dentro de um motor de um foguetão”, disse no comunicado.

A Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço está a trabalhar há três anos na utilização de impressão 3D na indústria espacial. Para construir cada peça, a impressora utiliza pó metálico esculpido com um laser. Como não há necessidade de utilizar soldagens ou juntas, a técnica permite a produção de materiais de maneira mais barata e rápida. A publicação Quartz afirma que a empresa SpaceX, que conseguiu recuperar esta semana um foguetão lançado em órbita, utiliza peças feitas com esta técnica em algumas peças nos seus veículos espaciais.

Este novo processo de fabricação é realmente um avanço para o desenho espacial por permitir a geometria de peças que seriam impossíveis com métodos tradicionais de produção industrial. Para o projeto das válvulas de um motor, por exemplo, utilizamos estruturas mais eficientes que resultaram em um desempenho otimizado”, comemora David Eddleman, engenheiro da equipa responsável pelo projeto.

A NASA tem divulgado no seu canal no Youtube vídeos de alguns dos testes realizados com peças feita com impressão 3D.