O vice-Presidente brasileiro, Michel Temer, defendeu que o Governo precisa ouvir mais do que falar para superar a crise económica no país, no primeiro encontro do ano com a Presidente Dilma Rousseff, noticiou o jornal Folha de S.Paulo.

Segundo o vice-presidente, é necessário convocar empresários e líderes de diversos setores da economia para estreitar o diálogo e encontrar soluções.

Temer referiu que o Palácio do Planalto precisa adotar uma outra postura, e demonstrar que “será mais servo” e não se limitará a dar as ordens.

Segundo o jornal, Dilma Rousseff disse ao seu vice-Presidente que vai convocar novamente o Conselho de Desenvolvimento Económico e Social, formado por empresários e outros setores da sociedade.

Na reunião, participou também o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner. A Presidente não se encontrava oficialmente com o seu vice desde dezembro.

Esta foi a terceira reunião oficial dos dois desde que o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, que é do mesmo partido de Temer, acatou o pedido de abertura do processo de destituição contra Dilma Rousseff.

Dias após a abertura do processo de destituição, no início de dezembro do ano passado, Dilma Rousseff e Temer tiveram uma reunião rápida e, depois, o vice-Presidente enviou uma carta ao Planalto, na qual afirmava ter passado os primeiros quatro anos de Governo sem ser ouvido, como um ´vice decorativo´.

Temer também afirmou na carta que Dilma e o seu partido não confiavam nele nem no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), partido político aliado do Governo brasileiro que é presidido por Temer.