“Regressão”

Alejandro Amenábar, realizador chileno radicado em Espanha, tem no seu currículo vários bons filmes, como é o caso de “Tese” (1996), “Os Outros” (2001), “Mar Adentro” (2004) ou “Ágora” (2009). Este “Regressão”, rodado no Canadá, é o seu primeiro passo em falso. Localizado numa cidadezinha do interior dos EUA nos anos 90, quando o país foi varrido por uma vaga de histeria causada por uma série de supostas cerimónias satânicas envolvendo abuso sexual e assassínio de menores, que mais tarde se revelaram ou totalmente falsas, ou inventadas, o filme segue a personagem de Ethan Hawke, um polícia que, com a ajuda de um psiquiatra (David Thewlis), investiga o caso de uma rapariga (Emma Watson) que acusou o pai de a ter molestado sexualmente e estar envolvido com um culto demoníaco. Amenábar dá a impressão de estar a conduzir a história para o domínio do sobrenatural, mas afinal o que parece pode não ser. “Regressão” resulta num filme transparente, tépido e frustrante, que desperdiça um punhado de bons intérpretes e expõe os limitados dotes dramáticos de Emma Watson.

“Jogo de Damas”

Ana Nave, Ana Padrão, Rita Blanco, Maria João Luís e Fátima Belo são as intérpretes de “Jogo de Damas”, a primeira longa-metragem da realizadora portuguesa Patrícia Sequeira, que até agora tinha assinado várias telenovelas e duas curtas, e está nesta altura a trabalhar na série da RTP “Terapia”. Escrito por Filipa Leal com base numa ideia da realizadora, e com a contribuição das actrizes para os diálogos das suas personagens, “Jogo de Damas” é a história de cinco mulheres que se juntam para ir ao funeral de uma amiga. Após o velório, ao longo da noite passada no turismo rural que a falecida não chegou a inaugurar, as cinco amigas reflectem sobre as suas vidas, e sobre a vida e a morte, contam segredos pessoais e falam de uma amizade que, aparentemente, sobreviveu a tudo. O filme foi antestreado em Novembro, no Lisbon & Estoril Film Festival, na nova secção “Promessas”.

“O Caso Spotlight”

Realizado por Tom McCarthy, também co-autor do argumento com Josh protagonizado por Michael Keaton, Liev Schreiber, Mark Ruffalo, Rachel McAdams e Stanley Tucci, “O Caso Spotlight” recria e dramatiza a investigação levada a cabo em 2001/2002 por uma equipa de jornalistas do diário Boston Globe, sobre o encobrimento, pelos poderes religiosos, políticos, jurídicos e policiais da cidade de Boston, de uma série de padres que molestavam menores sexualmente. A investigação abalou a Igreja Católica nos EUA, levou à resignação do cardeal Law, arcebispo de Boston, e valeu um Prémio Pulitzer de serviço público ao jornal. “O Caso Spotlight” está nomeado a seis Óscares, foi escolhido como a estreia da semana pelo Observador, e pode ler a crítica aqui.