Os pais da menina que caiu do 21º andar da Torre de São Rafael, no Parque das Nações, em Lisboa, estiveram várias horas a ser ouvidos no Tribunal de Instrução Criminal, também no Parque das Nações, na manhã deste sábado. Ficam proibidos de sair de Portugal e com a obrigação de se apresentar periodicamente às autoridades.

Tal como o Observador noticiou esta sexta-feira, o casal chinês está em Portugal ao abrigo do programa de Vistos Gold, uma vez que adquiriu a casa na Torre de São Rafael por um valor superior a 500 mil euros. Os dois têm nacionalidade chinesa e não falam português nem dominam o inglês, pelo que foi necessário recorrer a uma tradutora para fazer-lhes o interrogatório. Ambos estão na casa dos 40 anos e o homem é um alto quadro de um banco de investimentos chinês.

Na altura em que a filha caiu do prédio, o casal estava a jogar no Casino de Lisboa, a sensivelmente 350 metros de distância. À chegada a casa, os pais não se terão apercebido que a filha já tinha caído para um saguão interno do prédio e alertaram as autoridades.

Durante a tarde de sexta-feira, o Ministério Público abriu um inquérito para determinar com exatidão quais as circunstâncias em que a menina morreu. Os pais foram então detidos pela Polícia Judiciária e são suspeitos do crime de exposição ou abandono, o que pode ser punido com uma pena de prisão entre os três e os dez anos.