As presidenciais dos Estados Unidos voltaram a pôr os republicanos Ted Cruz, Marco Rubio e Donald Trump frente a frente. E a cinco dias da “Super Tuesday” – em que 12 estados americanos vão a votos nas primárias – o caminho pode já ter ficado decidido. Para a imprensa norte-americana, a derrota de Trump é quase unânime. Mas quem é que ganhou o debate da madrugada a três?

O New York Times recolheu a opinião de vários críticos e comentadores para afirmar que foi Rubio quem venceu “claramente” o confronto entre os candidatos, apesar de admitir que a sua “recém-dureza” peca por tardia.

Nicholas Thompson, editor da The New Yorker, também afirma que foi o senador da Florida quem venceu o debate e que quem mais perdeu foi Ted Cruz. O locutor de rádio Glenn Beck acrescentou que Rubio “arrasou”, enquanto Max Boot, do Conselho de Relações Externas, que o ataque do senador a Trump “não teve preço” e Eric Erikson, do blogue conservador The Resurgent, escreveu que “Rubio fez, francamente, um melhor trabalho ao manter-se focado no prémio”.

Na CNN, o comentador Van Jones chegou mesmo a dizer “Holy Moly! Marco Rubio partiu Donald Trump – e fez com que ele parecesse um idiota”. Na notícia publicada esta sexta-feira, a jornalista de política MJ Lee, do mesmo meio, também escreve que o senador da Florida esteve “imparável” na quinta-feira à noite. E no Huffington Post, o título da peça é bastante elucidativo: “Marco Rubio desarma Donald Trump naquele que foi o seu melhor debate”.

Na manchete do Washington Post: “Marco Rubio ridiculariza e discute com Donald Trump no décimo debate entre os republicanos. Noutro artigo, do mesmo jornal, o senador da Flórida não está isolado na vitória, faz-se acompanhar do ex-governador de Massachusetts, Mitt Romney.