“Claramente que existe um problema e eu não vou lavar as mãos”, afirmou Michael Ring, em entrevista à RTE Radio, na quarta-feira ao final do dia, avançando que vai procurar falar com vários profissionais do desporto para perceber o que pode fazer “para regular este desporto”.

O governante sublinhou que o Governo financia vários desportos, mas que o MMA não recebe apoios, precisamente por não ter um “código de conduta”, que dê garantias de segurança.

“Esta modalidade em particular não está regulada nem faz parte do programa de desportos da Irlanda. Eles não recebem qualquer financiamento do Estado”, garantiu o governante, lembrando que há dois anos já tinha alertado para os perigos e reunido com pessoas que também estavam preocupadas com este desporto de combate, sendo que escreveu a 17 organismos profissionais da modalidade, em fevereiro de 2014, dizendo-lhes que esperava que adotassem normas de segurança como as restantes modalidades.

Michael Ring assumiu ainda que não costuma ver MMA, nem é um desporto que veja com a família ou amigos. O ministro disse não ter prazer em ver pessoas a baterem-se e a jorrarem sangue deitadas no chão.

As declarações do ministro do Desporto irlandês chegam depois de o lutador português João Carvalho, mais conhecido por “Rafeiro”, ter morrido, na segunda-feira, em Dublin, na Irlanda, 48 horas depois de um combate de Artes Marciais Mistas (MMA), de onde saiu derrotado por Charlie Ward. O português recebeu logo cuidados no ringue e ainda foi operado ao cérebro, mas não resistiu. Os resultados da autópsia ainda não são conhecidos.