Estivadores

Ministra do Mar apela ao fim da greve: “Ou mantemos os privilégios de alguns ou mantemos o emprego a milhares”

149

Ana Paula Vitorino fez um último apelo aos estivadores e à administração do Porto de Lisboa: entendam-se. Em causa estão "milhares de empregos, diretos e indiretos" e a sustentabilidade da economia.

MIGUEL A. LOPES/LUSA

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, considerou esta terça-feira que “o que está a acontecer no Porto de Lisboa é muito grave, põe em causa a sustentabilidade do porto e afeta a economia nacional”. E deixa um aviso, quer a estivadores e sindicados, quer à administração do porto: “Nós [Governo] tentámos apelar ao consenso. E chegou a hora de resolver o problema. Faço um último apelo, aos sindicatos e aos operados, para que chegam a um acordo que garanta o emprego a todos quando trabalham no Porto de Lisboa. Têm que pôr fim ao braço-de-ferro.”

Ana Paula Vitorino falou das soluções que foi possível encontrar enquanto dura esse “braço-de-ferro”. “Tem sido possível, a muito custo, utilizar outros portos nacionais, como os de Sines, Aveiro e Leixões, e os operadores desses postos estão a acolher as cargas que são desviadas de Lisboa.”

Mas para a ministra do Mar a solução é só uma — acabar com os “privilégios” de uns e pensar no bem comum. E explica: “Este problema dura há quatro anos. Não é de hoje, nem dos últimos seis meses. É um conflito social entre privados, mas afeta-nos, público, porque afeta a economia nacional. Nós tentámos conciliar as partes. Chegou a ser assinado um acordo de paz social. Mas na semana passada o sindicato [dos estivadores] rejeitou essa proposta. Agora chegou a altura de decidir: ou mantemos os privilégios de alguns ou mantemos o emprego dos milhares de pessoas que vivem direta ou indiretamente do porto. Os segundos são quem importa nesta altura.”

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Programa de Estabilidade

O “truque”de Mário Centeno

Inês Domingos

O programa de Estabilidade, mais do que previsões, apresenta-nos unicórnios alados, que servem lindamente para contar histórias às crianças, mas não são uma forma credível de preparar o futuro do país

Civilização

A evidência é desprezada?

António Cruz Gomes

Ainda que nascidos transitórios – para viver no mundo, com o mundo e pelo mundo – fomos indelevelmente marcados por uma aspiração transcendental.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)