A PSA anunciou que vai concentrar o desenvolvimento dos seus modelos em duas plataformas globais, que lhe permitirão, a partir de 2019, lançar uma vasta gama de automóveis animados por motores térmicos, híbridos plug-in e totalmente eléctricos. Na base da oferta estará a plataforma CMP (Common Modular Platform), desenvolvida em conjunto com a Dongfeng Motors e destinada a modelos citadinos e compactos, incluindo SUV. Derivará numa versão e-CMP, exclusivamente eléctrica, a partir da qual serão criados, até 2021, tanto para as marcas da PSA como para a Dongfeng, quatro modelos eléctricos (o primeiro a lançar já em 2019), com até 450 km de autonomia e capazes de receber carregamentos ultra-rápidos, que proporcionam até 12 km de autonomia por cada minuto de carga.

A segunda plataforma que suportará esta “ofensiva” é a EMP2 (Efficient Modular Platform), originalmente lançada em 2013, visando automóveis compactos e superiores (serve, por exemplo, o Citroën C4 Picasso e o Peugeot 308). A partir de 2019, será ela que estará na base dos primeiros modelos híbridos plug-in a gasolina do grupo francês, estando previsto o lançamento, entre 2019 e 2021, de nada menos do que sete propostas deste género. Estes novos híbridos plug-in usufruirão de tracção integral (no caso dos SUV); 60 km de autonomia no modo eléctrico; interior amplo, sem concessões ao nível da habitabilidade ou da capacidade da bagageira; consumos de referência em condução citadina (cerca de 40% inferiores aos de um modelo equivalente com motor de combustão interna); e um sistema de recarga em quatro horas, com uma opção de carga ainda mais rápida, inferior a duas horas.

https://www.youtube.com/watch?v=fDdSB55gnYE