O candidato Pedro Pablo Kuczynski alcançou uma ligeira vantagem sobre a adversária Keiko Fujimori na segunda volta das eleições presidenciais de domingo no Peru, indicam duas sondagens.

A sondagem da empresa Gfk dá a Kuczynski 50,8% dos votos, contra 49,2 % de Fujimori, enquanto a da Ipsos estima que o ex-ministro da Economia recebeu 50,5% dos votos e a sua adversária 49,5%.

O diretor da Ipsos, Alfredo Torres, disse à estação América Televisión que a margem de erro da sondagem é de 1%, pelo que pediu “prudência” até serem conhecidos os resultados oficiais.

“A diferença é mínima, no nosso caso é de um ponto”, disse.

Também o Tribunal de Honra do Pacto de Ética Eleitoral, um órgão autónomo do Júri Nacional de Eleições (JNE) apelou este domingo à “serenidade e responsabilidade” dos peruanos até à conclusão da contagem dos votos.

O tribunal observou que, apesar de os resultados provisórios indicarem um empate técnico, embora com ligeira vantagem de Pedro Pablo Kuczynski sobre Keiko Fujimori, é “indispensável que o país mantenha a calma e aguarde o fim da contagem dos votos” pelos órgãos eleitorais.

Os resultados oficiais deverão ser divulgados esta segunda-feira.

Não obstante, os resultados das sondagens provocaram uma onda de celebrações na sede de campanha de Kuczynski.

No encerramento das assembleias de voto, as três sondagens realizadas à boca das urnas indicaram um empate técnico entre ambos os candidatos, com uma ligeira vantagem para Kuczynski em duas delas, e noutra para Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto Fujimori (1990-2000) que cumpre pena de prisão por corrupção e massacre de opositores.

Cerca de 23 milhões de eleitores estavam convocados para escolher no domingo o seu novo chefe de Estado em 77.307 assembleias de voto.

As eleições contaram com a presença de missões de observação eleitoral de várias entidades como a União Europeia (UE) e a Organização de Estados Americanos (OEA).

Fujimori ganhou a primeira volta das eleições presidenciais, no dia 10 de abril, ao obter 39,85 % dos votos, frente aos 21,01 % de Kuczynski, que foi o segundo candidato mais votado.

Dezasseis pessoas foram detidas no domingo, no Peru, por violação da lei eleitoral durante a segunda volta das presidenciais.