Chama-se G-Vectoring Control (GVC) e é a mais recente novidade da Mazda, no âmbito do desenvolvimento de tecnologias que permitam aos futuros modelos da marca nipónica proporcionar maior conforto ao condutor e diminuir a sua fadiga.

De acordo com a imprensa internacional, que teve a oportunidade de testar o novo sistema, o GVC limita o binário utilizado pelo motor, de modo a permitir uma suave transição entre as diferentes forças G. Isto é conseguido pela optimização da carga vertical em cada uma das extremidades da viatura, da mesma forma que um piloto procuraria compensar essas mesmas forças através da utilização do acelerador.

Assim, e ao cumprir uma curva, o sistema começa por limitar a subida do binário, no máximo até 30 Nm (nas situações ditas normais, não ultrapassa os 10 Nm), para que as forças G se façam sentir mais sobre o eixo dianteiro, ajudando a manter o carro na trajectória. À medida que o automóvel começa a sair da curva, em aceleração, a tecnologia transfere progressivamente as cargas para a parte de trás do veículo, assegurando uma progressão estável, segura e eficiente.

Visando igualmente garantir a eficácia, o sistema, que está permanentemente em funcionamento, lê os movimentos da direcção a cada cinco milésimos de segundo, como forma de aumentar a estabilidade e conforto, não somente em linha recta, mas também nas curvas. Basicamente, embora concebido de modo a tornar-se imperceptível, o GVC, explica um responsável da marca nipónica, “encoraja o condutor a conduzir o veículo como se fosse um piloto”.

A Mazda adianta ainda que o seu enfoque no conforto contempla novidades nos futuros modelos da marca, como novos bancos dianteiros, para acomodar mais firmemente o corpo e reduzir os pontos de pressão.