Muito haverá por aí quem se recorde de um citadino da Suzuki chamado Ignis. Depois de prolongada ausência, a marca japonesa decidiu recuperar este nome para identificar um modelo também de pequenas dimensões, mas anunciado agora como um crossover.

No fundo, trata-se da versão de produção do protótipo iM-4, revelado no Salão de Genebra do ano passado, e que já está a venda no Japão desde o início deste ano, justamente sob a designação Ignis. A sua estreia europeia está marcada para Outubro, no Salão de Paris, com a comercialização no Velho Continente a ter início em Janeiro de 2017.

Para além das dimensões contidas, o novo Ignis exibe uma imagem jovial, assente num design minimalista mas, no mínimo, arrojado. Outro dos seus atributos será a elevada eficiência, graças a uma plataforma de nova geração bastante leve e rígida, e à tecnologia “semi-híbrida” SHVS (Smart Hybrid Vehicle by Suzuki), em que um pequeno motor eléctrico e uma bateria de iões de Lítio, recarregada através da travagem regenerativa, permitem que se percorram alguns metros no arranque sem intervenção do motor de combustão, assim ajudando à redução do consumo. Espera-se, por isso, que o modelo seja proposto com os motores a gasolina 1.0 Boosterjet (três cilindros turbo de 111 cv) e 1.2 Dualjet (quatro cilindros de 90 cv).

O certame parisiense será aproveitado pela Suzuki também para mostrar o restyling do SX-4, que, para além dos retoques estilísticos, passará a contar com alguns melhoramentos interiores. Ao mesmo tempo, na oferta de motores, o actual 1.6 a gasolina cederá o seu lugar aos motores sobrealimentados da família Boosterjet, com 1,0 litros e 1,4 litros, mantendo-se em funções o turbodiesel 1.6 DDiS.