Fazer o top 10 dos automóveis mais caros do mundo, tal como o Observador fez, exige critérios. Critérios esses que deixam de fora outras pérolas da indústria automóvel, que seria injusto não mencionar por se tratarem de criações únicas, os chamados one-off. Ou por se destinarem a um uso exclusivo em pista. Ou, ainda, por pura e simplesmente ficarem abaixo da fasquia mínima do ranking que apresentámos – 1, 7 milhões de euros. Impõe-se atribuir algumas menções honrosas. Precisamente, oito.

1 – Mercedes-Benz Maybach Exelero: 7,1 milhões de euros

11 fotos

Olhando para o preço, perguntar-se-á por que razão não é este o líder da tabela dos 10 carros mais caros do mundo. A resposta é simples: porque este Maybach já é um pouco entradote. Surgiu em 2004, facto que, por outro lado, contribui para tornar ainda mais impressionante o seu preço! Se fosse hoje, e levando em linha de conta a necessária actualização monetária, o Exelero custaria qualquer coisa como 9 milhões de euros, ou seja, mais 1,9 milhões do que há 12 anos atrás. O valor descomunal é justificado por se tratar de um exemplar único. Está claro que um impressionante V12 Twin-turbo com 700 cv de potência, a par de quase três toneladas de luxos e comodidades, também ajudam.

2 – Ferrari LaFerrari FXX K: 2,4 milhões de euros

12 fotos

Espécie de proposta do outro mundo, apenas uma coisa acaba remetendo o Ferrari LaFerrari FXX K para a dura realidade terrena: a lei dos homens. A qual, fruto das restrições impostas às emissões e das exigências em termos de equipamentos de segurança, acaba por determinar um aumento de peso considerável numa máquina quase perfeita, ainda que concebida apenas para pista.

Com os 950 cv da versão standard elevados a uns quase loucos 1.035 cv, e com várias transformações como forma de garantir um aumento no apoio aerodinâmico em quase 50%, até os pneus, fabricados pela Pirelli, são de uma outra realidade. Incluem, por exemplo, sensores capazes de garantir permanentemente a máxima aceleração longitudinal, lateral e radial, assim como a melhor temperatura e pressão.

Assista ao making of:

3 – Lamborghini Centenario LP 770-4: 1,7 milhões de euros

30 fotos

Já lhe demos conta deste Lamborghini concebido com o objectivo de assinalar, com pompa e circunstância, os 100 anos do nascimento de Ferruccio Lamborghini, o fundador da marca.

Destinado para condução apenas e só em pista, este excelso representante da construção em fibra de carbono, consegue ser tão deslumbrante quanto eficaz. Maior, mas também mais leve que o Aventador, conta com várias e inovadoras soluções aerodinâmicas que mais parecem colá-lo ao chão. Tanto que a marca assegura, inclusivamente, que esta edição limitada consegue ser duas vezes mais eficiente que o Aventador!

Ao enorme poder de explosão garantido pelo propulsor mais potente alguma vez construído pela Lamborghini – um V12 6,5 litros com 770 cv disponíveis às 8.600 rpm –, esta máquina alia um peso pluma (pouco mais de 1.500 kg), pelo que consegue garantir acelerações avassaladoras dos 0 aos 100 km/h em 2,8 segundos, a par de uma velocidade máxima (limitada) a 354 km/h. Dito de outra forma, “saiam-lhe da frente!”.

4 – Ferrari LaFerrari: 1,2 milhões de euros

20 fotos

Foi o primeiro automóvel semi-híbrido fabricado pela marca do Cavallino Rampante, utilizando como unidade propulsora um V12 6,3 litros a gasolina, conjugado com um motor eléctrico e sistema de recuperação de energia cinética. Os quais, em conjunto, lhe garantem uma potência a rondar os 1.000 cv, a par de um binário máximo de 664 Nm.

Com um tal poderio, poucos são os carros que, nas estradas do dia-a-dia, conseguem rivalizar com este LaFerrari, que, mercê igualmente dos menos de 1.300 kg de peso, reclama acelerações do 0 aos 100 km/h em menos de 3,0 segundos, atingindo depois em recta o limite de 350 km/h.

5 – Aston Martin One-77: 1,2 milhões de euros

16 fotos

Acreditamos que não seja concertação, mas a verdade é que, tal como o LaFerrari, também esta edição limitada da Aston Martin exigia como contrapartida o bonito valor de 1,2 milhões de euros, para seguir para casa de um qualquer pretendente. E não se pode dizer que quem comprou uma das 77 unidades produzidas tenha feito um mau negócio. A prová-lo, está o facto de existirem apenas três à venda, um dos quais em Munique e que, apesar de “usado”, quase duplicou de valor…

Provavelmente o mais deslumbrante exemplar de beleza clássica nesta lista, o Aston Martin One-77 não esconde, contudo, o vanguardismo em aspectos como o chassi monocoque em fibra de carbono ou a carroçaria em alumínio. Aos quais se une um V12 7,3 litros naturalmente aspirado, a debitar 750 cv e 749 Nm de binário, e que faz deste One-77 o Aston Martin mais rápido de sempre. Desde logo, com uma capacidade de aceleração dos 0 aos 100 km/h em não mais que 3,5 segundos.

6 – Zenvo ST1: 1,07 milhões de euros

11 fotos

Fabricado na Dinamarca, o Zenvo ST1 pode muito bem ser considerado, mais do que um automóvel, uma espécie de animal enjaulado. Isto porque, debaixo de uma carroçaria radical, está um quase obsceno V8 6,8 litros com turbo e sobrealimentação ao mesmo tempo, que lhe garante uma potência máxima de 1.104 cv e 1.429 Nm de binário – tudo descarregado no eixo traseiro.

No entanto, para desilusão dos criadores deste produto quase todo construído de forma artesanal, o exame em pista feito pelo programa televisivo britânico Top Gear não foi propriamente positivo, com o ST1 a registar avarias constantes, voltas mais lentas do que seria de esperar e até fogo a sair do motor! Situação a que o fabricante dinamarquês contrapõe, alegando uma má e extrema utilização do veículo. Mas que os resultados não vaticinam boa coisa, lá isso…

7 – McLaren P1: 1,02 milhões de euros

21 fotos

Marca com as suas origens bem enraizadas na competição, mais concretamente na Fórmula 1, a McLaren decidiu, um dia, partir para a produção de superdesportivos utilizáveis nas estradas de todos os dias. O know-how reunido nas corridas encontra a expressão máxima no P1, um superdesportivo que consegue bater limites de velocidade num simples “ai”!

A contribuir para o desempenho, um corpo desenhado para ser extremamente aerodinâmico, com asas dianteira e traseira reguláveis em função da velocidade e apoio aerodinâmico, todo ele construído em carbono e titânio. A melhor forma, de resto, de conseguir um peso particularmente leve que, em conjunto com um sistema propulsor composto por um V8 Twinturbo e um motor eléctrico, passíveis de serem utilizados em conjunto, acabam garantindo acelerações dos 0 aos 100 km/h em apenas 2,8 segundos.

Em suma, um verdadeiro foguete sobre rodas, capaz de permitir disfrutar de muitas das sensações obtidas a bordo de um Fórmula1. Mas esta promessa é só para alguns, pois todas as unidades previstas têm já dono certo.

8 – Rolls-Royce Phantom Serenity: 985 mil euros

19 fotos

Não são rosas senhores, não são rosas, mas flores não faltam neste Rolls-Royce que é uma espécie de jardim andante. É o último desta lista, o que, ainda assim, não lhe retira méritos enquanto proposta capaz de deslumbrar, principalmente, pela opulência que oferece no interior. Proposta em branco-pérola, esta versão especial do conhecido modelo Phantom, limitada a um único exemplar, exibe no habitáculo a minúcia dos artesãos japoneses, num ambiente estético extremamente Zen.

No entanto, por baixo do capot, encontra-se um motor capaz de garantir velocidades não tão relaxantes quanto isso. A começar numa aceleração dos 0 aos 100 km/h em 6 segundos.