Uma mulher nigeriana deu à luz um menino a bordo de um barco de resgate, em pleno Mediterrâneo, após ter sido salva de um bote de borracha superlotado.

Aconteceu a bordo do MV Aquarius, uma embarcação de busca e salvamento do grupo SOS Mediterranee, que atua em parceria com os Médicos Sem Fronteiras (MSF).

A parteira da MSF, Jonquil Nicholl, a bordo do navio, descreveu o evento como:

Normal… Em condições perigosamente anormais”.

O bebé, um rapaz, chama-se Newman Otas e toda a família está bem, garantiu Alva White no seu Twitter. Os pais do bebé, Otas e Fé Oqunbor, decidiram fazer a travessia com os seus dois filhos, de cinco e sete anos, e foram resgatados 24 horas antes de o bebé nascer. A mãe do bebé admitiu estar nervosa durante toda a viagem e estar com contrações há já três dias.

Como o bebé nasceu no meio do mar, em águas internacionais, a sua nacionalidade ainda se encontra em discussão.

A parteira Jonquil Nicholl acrescentou mais referências à sua experiência:

Estou horrorizada com a ideia do que teria acontecido se o bebé tivesse nascido 24 horas antes… Nesse barco de borracha incapaz de navegar, com o combustível na parte traseira, onde as mulheres se sentam, amontoadas e sem espaço para se mexer, à mercê do mar”.

São milhares os refugiados e migrantes que arriscam as suas vidas a tentar fazer a perigosa travessia da Líbia para a Europa, em busca de uma vida melhor. Estima-se que no ano passado mais de 3.700 pessoas morreram durante essa viagem.

A oficial de comunicações da MSF, Alva White, disse à BBC que nascimentos são raros em navios de resgate, embora outro bebé tenha nascido também no Aquarius, em maio, filho de uma mulher dos Camarões.

Das 392 pessoas que estão agora a bordo do Aquarius, sete estão grávidas.