785kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

É raro acontecer. Nevou no deserto do Sahara

Este artigo tem mais de 5 anos

É raro, mas aconteceu: imagens de neve num dos desertos mais quentes do mundo foram capturadas. Terá sido a primeira vez em quase 40 anos que as montanhas se cobriram de branco.

É a primeira vez, em 37 anos, que neva no maior e mais quente deserto do planeta
i

É a primeira vez, em 37 anos, que neva no maior e mais quente deserto do planeta

Youtube

É a primeira vez, em 37 anos, que neva no maior e mais quente deserto do planeta

Youtube

Nevou num dos maiores e mais quentes desertos do mundo, o Sahara. Imagens raras do fenómeno foram capturadas e acredita-se que esta foi a primeira vez, em quase 40 anos, que as conhecidas montanhas vermelhas se cobriram de branco, conta o The Telegraph. sahhara snow

Existem relatos de que, nestas épocas festivas, alguns dos mais quentes desertos do planeta podem transformar-se numa miragem branca, a verdade é que é muito raro que tal aconteça. Aliás, o The Telegraph conta que o próprio fotógrafo ficou incrédulo com as imagens captadas.

snow sahara

Karim Bouchetata, o fotógrafo amador que fotografou as areias do Sahara captou as imagens no passado dia 19 de Dezembro, segunda-feira, mais precisamente na Ain Sefra, Argélia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Vue_d_Ain_Sefra,_Algérie

Ain Sefra na maioria dos seus dias

Os relatórios existentes sugerem que será apenas a segunda vez, desde que há registos, que neva no deserto do Sahara, um dos ambientes com o clima mais severo da terra. A última vez que tal aconteceu terá sido a 18 de fevereiro de 1979, quando os flocos de neve caíram apenas por meia hora.

sahhhara snow

A LifeScience classificou este tipo de nevões como um dos sete eventos mais raros do mundo, ocupando o primeiro lugar da lista.

https://www.youtube.com/watch?v=vb3rb0gF5qE

Na sua página oficial de Facebook, Karim Bouchetata publicou as fotografias que tirou, escrevendo: “Hoje, a minha bela cidade”

Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Vivemos tempos interessantes e importantes

Se 1% dos nossos leitores assinasse o Observador, conseguiríamos aumentar ainda mais o nosso investimento no escrutínio dos poderes públicos e na capacidade de explicarmos todas as crises – as nacionais e as internacionais. Hoje como nunca é essencial apoiar o jornalismo independente para estar bem informado. Torne-se assinante a partir de 0,18€/ dia.

Ver planos