O BPI já recebeu os dividendos do Banco de Fomento de Angola (BFA) referentes a 2014 e 2015, no valor de 66,1 milhões de euros, informou esta quinta-feira o banco, no dia em que anunciou a venda de 2% do BFA.

O Banco BPI vem nesta data informar que a transferência daqueles dividendos se concretizou, tendo o valor global de 73,4 milhões de dólares (66,1 milhões de euros) sido recebido na conta do Banco BPI junto do seu banco correspondente internacional para dólares norte-americanos”, refere a instituição em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Mobiliários (CMVM).

O valor total dos dividendos pagos dizem respeito a 36,9 milhões de euros relativos a 2015 e a 29,2 milhões de euros da parte de 2014 que ainda não tinha sido paga.

Com este recebimento, fica concluído o processo de transferência de todos os dividendos do BFA cuja transferência para Portugal se encontrava pendente”, conclui o BPI.

Em setembro, quando a administração do BPI propôs a venda de 2% do BFA à operadora angolana Unitel, por 28 milhões de euros — tendo dito que essa era a “única solução” para cumprir as exigências do Banco Central Europeu de redução da exposição ao mercado angolano — afirmou que essa operação seria feita no pressuposto que a Unitel faria “todos os esforços que sejam possíveis” pagar até 09 de dezembro de 2016 pagar os dividendos do BFA relativos aos exercícios de 2014 e 2015.

Até 09 de dezembro tal não aconteceu, mas em 13 de dezembro — no dia da assembleia-geral em que os acionistas aprovaram a venda parcial do BFA — foi conhecido que o Banco Nacional de Angola autorizou a transferência dos dividendos de 2015 e a 15 de dezembro foi a vez da autorização de transferência dos dividendos de 2014.

O Banco BPI anunciou, esta quinta-feira, a concretização da venda de 2% do BFA à Unitel, passando a operadora angolana a controlar 51,9% do banco e ficando o BPI com 48,1%. Em consequência do negócio, Fernando Ulrich e José Pena do Amaral renunciaram aos cargos de presidente e vogal do Conselho de Administração do BFA.

Como presidente do banco angolano fica agora Mário Leite da Silva, gestor ligado à empresária Isabel dos Santos que, por sua vez, é quem controla a operadora Unitel. Isabel dos Santos é também um dos principais acionistas do BPI, uma vez que a sua ‘holding’ Santoro detém 18,6% do banco.

O principal acionista do BPI é o grupo espanhol Caixabank, que detém 45,50% de participação e que tem em curso uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a totalidade do capital social, oferecendo 1,134 euros por ação. A OPA do Caixabank ainda aguarda registo pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).