Um inspetor da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária foi acusado pelo Ministério Público de ter desviado cerca de 60 mil euros num maço de notas durante as buscas a uma habitação em Cascais. A busca foi feita no âmbito da operação Rota do Atlântico, que investiga um esquema de luvas em negócios de petróleo em África e no qual José Veiga é suspeito, avança o Jornal de Notícias.

De acordo com a edição desta sexta-feira do jornal, Emanuel Sérgio Briosa, de 40 anos, participava apenas de forma ocasional nestas buscas para auxiliar colegas de outra brigada anticorrupção.

O inspetor estaria convencido que, tratando-se de dinheiro de origem ilícita, ninguém daria conta do seu desaparecimento ou se iria queixar, conta o JN. Mas uma denúncia anónima acabaria por trai-lo e foi detido em fevereiro. A detenção, decidida após uma investigação interna, foi feita quando o inspetor estava a tratar da compra de cotas de um café na na margem sul. Está em prisão prisão preventiva desde então e já terá admitido inclusivamente ter desviado o dinheiro.