“Discutir o passado e o presente mas sobretudo projetar o futuro da indústria musical”. É esse o objetivo que a organização da Tomorrow Comes Today (TCT) assume para a série de conferências, debates e showcases que vai acontecer no Porto entre 12 e 13 de outubro deste ano. A partir de agora, o evento — uma espécie de Web Summit especialmente dedicada à música enquanto produto comercial e tecnológico — já tem site oficial disponível para consulta e conta com primeiros nomes confirmados para os painéis de discussão.

Relação entre artistas e marcas, a função e os efeitos das curadorias, o lugar e a importância de um mercado como o do vinil e tudo o que pode modelar esta indústria num futuro mais próximo. Estes são alguns dos temas que vão fazer parte do programa da TCT. A maior parte dos eventos vai acontecer no edifício da Alfândega. Só os painéis que fazem parte do tema “Music meets Sports” é que terão lugar no Auditório do Estádio do Dragão.

Estes são os primeiros oradores confirmados, num evento que conta com a parceria da BBC, dos estúdios Abbey Road, do Fórum Internacional de Managers de Música e da Associação de Música Independente:

Simon Raymonde (que fez parte dos Cocteau Twins e que hoje gere a editora Bella Union), Yale Evelev (da Luaka Bop, a editora fundada por David Byrne e que dá especial atenção à world music), James Stirling (da BBC Music), Josh Saunders (da Warner Music no Reino Unido), Chris Sharp (o programador de música contemporânea do centro Barbican), Richard Kivel (do MIT, especialista em tecnologia), Beatie Wolfe (cantora e compositora, autora do primeira app de um álbum em relidade virtual) e Jon Eades (que lidera o departamento de novas tecnologias e inovação dos estúdios Abbey Road Studios em Londres).

Porto vai receber conferência internacional de música e tecnologia

Estão ainda por anunciar os diferentes temas que vão formar os painéis mas João Afonso, o responsável pela organização da TCT, confirmou ao Observador que também haverá oradores portugueses. Nas conferências, a ideia da TCT é ter sempre participantes de diferentes áreas da indústria: um músico, um editor, um manager ou alguém mais próximo das novas tecnologias, por exemplo. Contudo, haverá sempre um artista em todas as conversas, essa será a presença fixa.

Haverá showcases com 150 bandas “promissoras”, como a organização as classifica. Para isso, a partir de 22 de março estará disponível no site da TCT o programa Apply to Play, uma espécie de concurso no qual os músicos se podem inscrever e que depois vai ditar os selecionados para os showcases ao vivo na conferência. Para estes concertos, o Hard Club será o palco principal mas, também de acordo com a organização, outros 12 palcos espalhados pelo Porto vão acolher estas apresentações, programadas para acontecer entre 12 e 14 de outubro.

Já há bilhetes à venda no site, que vão dar acesso às conferências, aos showcases e também às festas. Numa primeira fase, haverá entradas a 490 euros, apenas durante uma semana (com o título Super Early Bird). Depois, e até ao fim do mês de maio, os bilhetes Early Bird terão o preço de 725 euros. Após estes dois períodos, o bilhete normal vai custar 1160 euros.

Além destes ingressos, será possível assistir apenas aos concertos e haverá bilhetes à venda para o efeito. A organização da TCT promete “mais detalhes para breve”.