Quando adquiriu a London Taxi Co. (LTC), empresa responsável pelo fabrico dos emblemáticos táxis que dominam as ruas de Londres, a Geely (proprietária também da Volvo) fez desde logo saber que pretendia rentabilizar a operação também da criação de um novo modelo eléctrico e da sua exportação para outros destinos. A meta começa a ser cumprida, graças ao acordo estabelecido entre a empresa chinesa e o Centro de Mobilidade de Roterdão, com vista ao fornecimento de 225 táxis eléctricos (com um pequeno motor a gasolina a funcionar como extensor de autonomia quando necessário), já do novo modelo TX (desenhado em Barcelona), os quais começarão a sair da fábrica de Conventry no final do primeiro trimestre de 2018, bem a tempo do início da Primavera.

Também por isso, a LTC passará a denominar-se London EV Co. (LEV), assim reflectindo o investimento de cerca de 365 milhões de euros realizado pela Geely na electrificação da sua oferta.

Já o TX mantém os proverbiais atributos do seu antecessor em termos de aparência exterior, de maneabilidade (graças à reduzida “brecagem”), de acessibilidade (inclusive para passageiros em cadeiras de rodas, para isso contribuindo as portas de abertura invertida a 90°) e de habitabilidade (graças à sua lotação para seis pessoas, contra os cinco lugares do modelo anterior). A que se juntam o enorme tecto panorâmico e o sobredimensionado ecrã do sistema de navegação.

Mas também não deixará de ser um alvo fundamental da LEV a substituição dos 23 mil táxis a gasóleo que circulam na capital britânica, e que a partir de 2018 terão de ser capazes de operar em modo de emissões zero, sejam totalmente eléctricos ou híbridos, como estipulado pelo edil londrino, Sadiq Khan.

Os preços serão anunciados a 1 de Agosto, altura em que abrem as encomendas para os taxistas a nível individual, com as vendas a arrancarem em Londres no último trimestre deste ano, e no primeiro trimestre do próximo ano nos restantes mercados.