Rádio Observador

UGT

Em vésperas de Orçamento do Estado, UGT ameaça com greve na função pública

Coordenador da Federação de Sindicatos para a Administração Pública alerta para possibilidade de greve. Federação exige discutir descongelamento de carreiras e OE com Governo.

Manuel Almeida/LUSA

A Federação de Sindicatos para a Administração Pública (Fesap), subordinada à UGT, deixou uma ameaça clara: caso na agenda do Governo não esteja uma reunião urgente para debater o descongelamento das carreiras e o Orçamento do Estado, a federação pondera organizar uma greve na função pública. Segundo noticia esta quinta-feira o jornal Público, a Fesap enviou uma carta ao ministro das Finanças a pedir o encontro, numa altura em que falta sensivelmente um mês para a entrega do Orçamento do Estado.

Em causa está, sobretudo, a aprovação do regime extraordinário das reformas antecipadas, sem que os sindicatos da função pública tenham sido consultados, mas também a forma como o Governo quererá descongelar as progressões nas carreiras — desde 2009 que não se resgitam aumentos salariais e progressões nas carreiras na função pública.

Citado pelo Público, o coordenador da Fesap, José Abraão, critica o Governo de desvalorizar o papel dos sindicatos, de não respeitar os “compromissos assumidos” e de estar mais interessado em “negociar com os partidos”. José Abraão recorda que, apesar de um calendário negocial ter sido acordado com a anterior secretária de Estado, “não é claro” que o Governo queira ir em frente com ele.

“Estamos muito disponíveis para a luta se não houver negociações até porque temos uma greve que foi aprovada no congresso da UGT”, garante José Abraão. Desde julho que a pasta da Administração Pública ficou a cargo de Fátima Fonseca que, segundo José Abraão, ficou de enviar um novo calendário de negociações na primeira metade de agosto, sem que quaisquer reuniões tenham sido, entretanto, marcadas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt
Politicamente Correto

Os filhos do Vasco Granja /premium

Helena Matos

O reitor proibiu a carne de vaca. Os alunos se pudessem proibiam toda a carne. Em Portugal, eles são os filhos e netos do Vasco Granja. Gerações que, entre muita animação, estão a impor uma ditadura.

Turismo

A turistificação da economia algarvia

António Covas

Não é tarefa fácil falar de diversificação da base económica regional quando a atividade turística é aquela que remunera mais rapidamente as pequenas poupanças e os pequenos investimentos realizados.

Novo Acordo Ortográfico

Uma comunidade às avessas

José Augusto Filho

Da forma em que foi conduzido, o Acordo serve mais para enfraquecer a língua de Camões do que para disseminá-la. Quanto aos ganhos políticos e económicos esperados, foram até agora praticamente nulos.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)