Francisco Geraldes parecia ser cada vez mais um dos elementos que iria rodar por empréstimo do Sporting. Miguel Layún parecia ser cada vez mais um dos elementos que poderia sair do FC Porto que tinha cinco jogadores para quatro vagas. Uma coisa puxa outra e lá nasceu a “tempestade perfeita” através das redes sociais na pré-época: então e se os dois rivais trocassem os seus “excedentários”? O assunto morreu aí e nunca chegou a ser colocado na órbita de nenhum dos clubes. Mas, caso tivesse acontecido, estaria longe de ser caso único.

Nos últimos 20 anos, Sporting e FC Porto acertaram trocas diretas de jogadores (algumas envolvendo dinheiro, outras apenas com os passes dos atletas) em cinco ocasiões. E quem ficou a ganhar? Provavelmente, nenhum. Porque se Rui Jorge se tornou uma pedra basilar na equipa leonina que quebrou o jejum de títulos em 2000 (e ganharia também o Campeonato de 2002), João Moutinho sagrou-se tricampeão e ganhou uma Liga Europa antes de sair para o Mónaco por mais do dobro do que tinha custado. Só estes marcaram mesmo a diferença.

Rui Jorge chegou a Alvalade em 1997/98, quebrou o jejum de títulos em 1999/00 e defrontou o Real de Figo no ano seguinte

A primeira vez que existiu essa experiência envolveu quatro jogadores em 1997/98, quando José Roquette liderava os leões: o médio defensivo Peixe, antigo campeão mundial Sub-20, e o guarda-redes Costinha deixaram o Sporting e reforçaram o FC Porto, enquanto o lateral esquerdo Rui Jorge e o médio Bino fizeram o caminho inverso. Em 2003/04, já com Dias da Cunha na presidência, o ala Ricardo Fernandes rumou ao FC Porto por troca com Clayton, avançado que se tinha distinguido sobretudo no Santa Clara. Novo presidente, novo acordo, em 2008/09: o Sporting de Soares Franco pagou 2,5 milhões de euros e o jovem Diogo Viana por Hélder Postiga.

Não demorou muito a surgir aquela que foi a grande “bomba” do mercado: incompatibilizado com a SAD verde e branca liderada por José Eduardo Bettencourt, João Moutinho foi autorizado a sair, em 2010/11, e acabou por reforçar o FC Porto por 11 milhões de euros (mais 25% da mais valia numa futura transferência), passando para o Sporting o central Nuno André Coelho. Por fim, no decorrer da temporada 2012/13, Godinho Lopes negociou a saída do russo Marat Izmailov para o Dragão por troca com o lateral direito Miguel Lopes.

João Moutinho sagrou-se tricampeão no FC Porto, ganhou a Liga Europa e foi transferido para o Mónaco

Contas feitas, os cinco antecessores de Bruno de Carvalho negociaram uma troca de jogadores com Pinto da Costa, que lidera o FC Porto desde 1982 e já se cruzou com 11 presidentes leoninos desde que assumiu o comando dos dragões. Agora, não há perspetivas de novo remake desse filme. Mas também convém recusar o termo “nunca”: dois dias antes de ser enviado para a CMVM o comunicado oficial, um elemento que estava em Alvalade a trabalhar com a organização do Rock in Rio passou pelo hall VIP do estádio e atirou para o ar que o próximo ponta-de-lança do Sporting ia ser Hélder Postiga. Ninguém ligou muito a isso. E não é que era mesmo ele?