Francisco J. Marques, diretor de comunicação e informação do FC Porto, não demorou a reagir à decisão do Tribunal Judicial da Comarca do Porto, que decidiu recusar a providência cautelar apresentada pelo Benfica para evitar que os dragões continuassem a divulgar emails. “O polvo começa a perder força. O caminho é continuar a desmascarar a farsa. Por um futebol limpinho”, escreveu na sua conta oficial do Twitter.

Mais tarde, em declarações ao Porto Canal, o responsável dos azuis e brancos mostrou-se satisfeito com a decisão e falou mesmo em “derrota em toda a linha do Benfica”. “Permite que o país continue a saber toda a extensão de um sem número de práticas duvidosas e eticamente questionáveis, e que sabemos que estão a ser investigadas pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária, algo que o Benfica estava a tentar silenciar através deste procedimento administrativo”, declarou Francisco J. Marques.

“Ficou evidente com a decisão do juiz o interesse público das revelações que temos feito. É uma enorme derrota do Benfica, que teve todo o tempo para preparar a sua providência cautelar, enquanto o FC Porto teve apenas dez dias para responder. Não só respondemos como anulámos. Convém lembrar que o Benfica pretendia silenciar o FC Porto, parar com a divulgação destas coisas muitos comprometedoras da forma de agir do clube, mas também queria ter acesso. É que no pedido da providência cautelar constava a entrega de duas cópias de todo o material, uma ao tribunal e outra ao Benfica”, referiu o director de comunicação portista, ao mesmo tempo que garantiu que “o FC Porto continuará, sempre que achar importante, relevante e de interesse público, a desmascarar todas estas práticas”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Providência do Benfica no caso dos emails rejeitada. “O polvo começa a perder força”, diz FC Porto

“Estamos a falar de assuntos muitos sérios, que do nosso ponto de vista colocam em causa o normal desenrolar das competições. A esse nível não vai mudar nada. Estamos tranquilos e estamos certos de que a razão acabará por prevalecer. O Benfica parece estar a fazer má publicidade aos principais escritórios de advogados do país, que contrataram para combater o FC Porto, e nós, com o nosso gabinete jurídico e os advogados que connosco trabalham há vários anos, conseguimos derrotar toda a artilharia do Benfica”, salientou depois Francisco J. Marques.

“A credibilidade de tudo o que temos divulgado é inquestionável. O próprio Benfica, ao fazer o pedido da providência cautelar e por algumas declarações públicas de elementos mais relevantes, incluindo o seu presidente, já confirmou a veracidade dos emails. Estamos certos que tudo o que dissemos é a mais pura das verdades e a seu tempo será esclarecido”, concluiu.

Benfica fala em decisão “grave e absurda” e avança com recurso após decisão sobre caso dos emails