Orçamento do Estado

António Saraiva. Orçamento para 2018 “cria expetativas às famílias e dececiona as empresas”

162

O presidente da CIP mantém a confiança no Governo de Costa, mas tem reservas sobre Orçamento para 2018 e o crescimento económico do país. Do ministro da economia, diz que lhe falta "força política".

NUNO FOX/LUSA

O presidente da Confederação Industrial Portuguesa (CIP) não poupa críticas ao Governo na forma como geriu a estratégia de combate aos fogos deste ano, em especial a última vaga no norte e centro do país, que causou pelo menos 41 mortes. António Saraiva considera que o primeiro-ministro não reagiu da melhor forma nem tomou as decisões que se exigiam perante a tragédia, afirmou esta quarta-feira à noite em entrevista ao programa ECO24, na TVI.

Temos uma estabilidade política, a par de uma estabilidade social, portanto, a confiança, mantemo-la. Exige-se é outro tipo de respostas a estas catástrofes.”

O líder dos patrões deixa mais críticas ao Executivo de António Costa. O dirigente considera também que o governo está refém dos partidos da esquerda e, por isso, também dos sindicatos. “Estando este governo refém do acordo com os partidos que suportam a maioria parlamentar, é natural que aquilo que é visível seja a vontade de sindicatos“, cujas reivindicações, reforça, têm sido atendidas em detrimento dos pedidos das empresas. Ainda assim, garante que a CIP tem uma palavra a dizer em certos assuntos de Estado. “Muitas vezes, é no recato dos gabinetes que conseguimos impor medidas, é na diplomacia das questões que se demonstra que vencemos pela razão”. Aliás, sublinha, “os próprios acordos de concertação social são um equilíbrio de vontades”. E deixa um aviso:

Se o Governo, este ou outro qualquer, reverter a atual legislação laboral para aquilo que é a vontade de alguns sindicatos, nomeadamente os da CGTP, para um período pré-troika, terão a nossa firme oposição e desenvolveremos um conjunto de iniciativas”.

Sobre a proposta de Orçamento do Estado para 2018, António Saraiva considera também que premeia as famílias em detrimento das empresas, e tem dúvidas sobre a real sustentabilidade de uma economia que está equilibrada, mas em arames “muito frágeis”. Ainda assim, relembra que o país vive um momento de estabilidade política e social e, por isso, o Governo mantém a confiança dos empresários.

O dirigente da CIP, na mesma entrevista, também dirige algumas farpas mais afiadas ao ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, a quem aponta “falta de força política, dentro do Governo, para fazer valer a vontade da Economia”. Diz mesmo que o ministro tem estado abaixo das expetativas dos empresários. Reconhece, contudo, que é um “profundo conhecedor” da economia nacional.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Professores

A Justiça e os Professores

Arnaldo Santos
431

Justiça é dar a cada um aquilo que é seu e cada professor deu o seu trabalho no tempo de congelamento na expetativa de ter a respetiva retribuição relativa à progressão na carreira: o que é seu é seu.

Benefícios Fiscais

Se calhar mais valia ter ido…

António Maria Cabral
177

Por que motivo um jogador de futebol (Pepe) que receberá milhões de euros afinal “só” vai pagar metade de IRS? A resposta é nos dada pela Lei de Orçamento de Estado de 2019...

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)