O jornalista Raul Vaz vai sair a direção do Jornal de Negócios, que tinha assumido em março de 2016. A decisão foi confirmada pelo jornal Eco, que adianta que a decisão já foi anunciada à redação daquele jornal de economia. A decisão não terá “qualquer relação com a reestruturação anunciada pela Cofina Media”, segundo adiantou aquela empresa em comunicado.

O Observador sabe que, além de sair da direção do Jornal de Negócios, Raul Vaz não vai continuar a trabalhar na redação do título. A saída será consumada na sexta-feira, altura em que também deverá ser conhecido o nome do próximo diretor do Jornal de Negócios.

Ao Expresso, Raul Vaz admitiu sair do Jornal de Negócios por causa de “divergências” com a administração da Cofina. “Na vida, quando as partes sentem que as divergências são maiores que as convergências, uma das partes tem de sair”, disse o jornalista.

“Esta saída não tem qualquer relação com a reestruturação anunciada pela Cofina Media, nem com uma suposta fusão de redações, que nunca fez parte dos planos da empresa”, diz a Cofina, num comunicado de imprensa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em setembro, a Cofina negou estar a proceder a uma fusão das redações, mas confirmou que as redações dos seus nove títulos — entre os quais estão o Correio da Manhã, CMTV, Sábado, Record e o Jornal de Negócios — vão passar a funcionar num espaço único de forma a “permitir maiores sinergias operacionais” e também reduzir “custos na logística”. Foi essa a explicação de Octávio Ribeiro, diretor-geral editorial da Cofina e diretor do Correio da Manhã, ao Expresso, assegurando ainda assim que “os jornalistas especializados de cada título continuarão a trabalhar, como sempre, para a sua marca”.

Raul Vaz assumiu a direção do Jornal de Negócios em março de 2016. Foi nessa altura em que sucedeu a Helena Garrido, diretora do Jornal de Negócios desde 2013 (após a saída de Pedro Santos Guerreiro para o semanário Expresso), e atualmente colunista do Observador.