Numa altura em que são os SUV e crossovers a, digamos assim, “puxar a carroça” em termos de vendas mundiais de automóveis, nem mesmo os vários problemas (técnicos, mas não só…) sentidos pela Maserati, com o seu SUV de estreia, o Levante, parecem ter sido suficientes para fazer o construtor de Modena desistir de tão importante filão. A confirmá-lo, a decisão tomada de avançar para um segundo modelo do género, construído com base no “primo” Alfa Romeo Stelvio. E cuja chegada ao mercado deverá acontecer já em 2020.

Anunciado por Sergio Marchionne, CEO da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), dona da marca do tridente, o futuro modelo deverá posicionar-se, em termos de gama, abaixo do Levante. Ainda sem nome, certo é já, também, que utilizará a mesma plataforma Georgio, que serve de base ao Alfa Romeo Stelvio, embora neste caso em concreto com um novo motor, garantiu igualmente Marchionne. Afirmação que, feita desta forma, sem mais qualquer pormenor, leva a crer que poderá vir a tratar-se de um sistema de propulsão híbrido, até para dar continuidade à promessa de que, a partir de 2019, todos os modelos do fabricante de Modena serão, de alguma forma, electrificados.

Ainda segundo o CEO da FCA, o novo SUV deverá permitir à Maserati atingir vendas mundiais na ordem das 80 mil unidades, assim como contribuir para ganhos anuais a rondar os mil milhões de euros. O que, a acontecer, dará continuidade ao crescimento nas vendas iniciado com o Levante, pois o primeiro SUV da história da marca, só nos três primeiros trimestres de 2017, permitiu ao fabricante atingir as 36 mil unidades vendidas, depois de não ter ido além das 23.900, em igual período de 2016.

Apesar deste crescimento, Marchionne reconhece que a produção prevista para o Levante acabou por ter de ser reduzida, devido a uma procura abaixo das expectativas. Precisamente para tentar atrair um maior número de clientes, a marca estará já a desenvolver uma mais picante versão GTS.

Uma variante eléctrica poderá estar igualmente em agenda, tudo apontando para que venha a utilizar o mesmo sistema propulsor estreado no monovolume Chrysler Pacifica.

Ainda antes, muito provavelmente já perto do final da década, deverá chegar o primeiro Maserati 100% eléctrico, mas baseado no desportivo Alfieri. Ao passo que, em 2020, será a vez do próximo e tão desejado GranTurismo.