O sérvio Novak Djokovic vai sair, na segunda-feira, do ‘top 10’ do ténis mundial pela primeira vez em dez anos, na sequência da qualificação de Juan Martín del Potro para os ‘quartos’ do Masters 1000 de Paris.

Quando o ‘ranking’ ATP for atualizado na segunda-feira, com os pontos do último Masters 1000 da época, Djokovic vai figurar fora do ‘top 10’, algo que não acontece desde que o sérvio, de 30 anos, entrou nos dez primeiros, em março de 2007.

Lesionado no cotovelo direito, o atual número sete mundial e vencedor de 12 títulos do ‘Grand Slam’, que liderou a hierarquia durante 223 semanas e que não joga desde julho, foi ‘prejudicado’ pelo apuramento de Juan Martín del Potro para os quartos de final do Masters 1000 de Paris.

O popular argentino, que hoje venceu o holandês Robin Haase por 7-5 e 6-4, no encontro dos oitavos de final, ficou a uma vitória do apuramento para as ATP World Tour Finals.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

‘Delpo’, que antes do início do US Open estava no 47.º lugar da corrida para Londres, é agora o décimo no ‘ranking’ de apuramento para o Masters, estando a apenas 20 pontos do espanhol Pablo Carreño Busta, que ocupa o virtual último lugar de apuramento.

“Vá ou não vá, ficarei satisfeito. Seja porque vou poder participar outra vez nesse evento fantástico, seja porque vou poder ir de férias”, destacou o argentino.

As ATP World Tour Finals, também conhecidas como Masters, vão reunir os oito melhores tenistas da temporada entre 12 e 19 de novembro, na O2 Arena, em Londres.