As exportações agrícolas do Brasil aumentaram 13% em 2017 face ao ano anterior, atingindo 96,1 mil milhões de dólares (78,4 mil milhões de euros), informou esta terça-feira o do ministério da Agricultura do país.

O ministério destacou que “com o crescimento do valor exportado sobre o das importações, o saldo da balança comercial do setor foi superavitário em 81,8 mil milhões de dólares (66,8 mil milhões de euros), melhor que os 71,3 mil milhões de dólares (58,2 mil milhões de euros) alcançados do ano anterior”.

Em 2017 o setor agrícola representou 44,1% do resultado total alcançado pelo país no mercado externo.

O Governo brasileiro também destacou que o aumento do saldo comercial resultou da recuperação de preços das ‘commodities’ no mercado internacional, mas, especialmente, do aumento dos volumes exportados.

Os produtos que mais contribuíram para o aumento das exportações foram a soja, carnes, celulose, cereais, farinhas e produtos do setor dos açucares e álcool.

A China encerrou o ano de 2017 na liderança entre os mercados de destino do agronegócio brasileiro, ampliando a sua participação de 24,5% para 27,7%.

“Em 2017, as exportações para esse país somaram 26,5 mil milhões de dólares (21,6 mil milhões de euros), superando em 27,6% o valor do ano anterior”, informou o Governo brasileiro.

Já as exportações para os Estados Unidos, o segundo maior comprador de produtos agrícolas vendidos pelo Brasil, somaram 6,7 mil milhões de dólares (5,4 mil milhões de euros) em 2017, com um crescimento de 7,3% sobre o ano anterior.

Os principais aumentos de exportação para os Estados Unidos foram nas vendas de álcool etílico e celulose.