“Bom, bom, bom… A culpa, a culpa, é minha. Carla, e agora? Eu enganei-me!” Em 1997, numa cerimónia transmitida em direto na RTP, o apresentador Humberto Bernardo enganou-se ao revelar o nome da Miss Portugal, chamando ao palco Icília Berenguel. Na altura não havia Twitter nem memes, mas ainda assim a gafe de Humberto Bernardo não escapou, dez anos depois, à sátira dos Gato Fedorento.

Anos depois, em 2017, é recordada depois de Warren Beatty, na cerimónia dos Óscares, anunciar “La La Land” para melhor filme e, afinal, a estatueta ter outro dono, o filme “Moonligh”. É que os envelopes tinham sido trocados.

[Recorde no vídeo o engano no Miss Portugal, nos Óscares e, agora, o erro na primeira semifinal do Festival da Canção]

[jwplatform VzQtDJC4]

Parece que não há duas sem três. Menos de 24 horas depois de terem sido divulgadas as sete canções que passam à final do Festival da Canção, marcada para o dia 4 de março, eis que surge a reviravolta: afinal, houve um erro. A música de Beatriz Pessoa, que interpretou o tema “Eu Te Amo”, composta pela brasileira Mallu Magalhães, fica de fora. Por sua vez, Rui David, com o tema “Sem Medo”, composto por Jorge Palma, passa a integrar a lista de canções candidatas a suceder “Amar Pelos Dois”, de Salvador Sobral, que ganhou a Eurovisão do ano passado.

O erro não escapou aos utilizadores das redes sociais, especialmente depois de Salvador Sobral e os apresentadores, Carlos Malato e Jorge Gabriel, terem admitido, na primeira semifinal de domingo à noite e que não percebiam como funcionava o sistema de votações — um facto que já está a divertir as redes sociais:

https://twitter.com/DiabaAntonia/status/965582115860549632