Marca que alicerçou grande parte da sua existência nos motores de cinco cilindros, a Volvo prepara-se para entrar num território totalmente novo, ao estrear o primeiro tricilíndrico da sua história, no seu novo crossover de entrada, o XC40.

Adoptando o mesmo nome da família Drive-E, o novo três cilindros, desenvolvido dentro das paredes da própria marca sueca, é uma derivação do modular quatro cilindros com o mesmo nome, sendo produzido inclusivamente na mesma linha de montagem de onde saem todos motores de quatro cilindros, a gasolina e diesel. E, tal como estes, pode ser conjugado tanto com uma caixa manual de seis velocidades, como com uma opcional transmissão automática de oito relações.

Embora, para já, pouco mais se saiba sobre este novo três cilindros, a Volvo já revelou que se trata de um bloco 1,5 litros, que virá mesmo a dar origem a uma versão híbrida plug-in. Também ela a aplicar no XC40, o qual contará ainda com uma variante 100% eléctrica.

O nosso novo três cilindros é um desenvolvimento excitante, tanto para o novo XC40, como para a própria Volvo Cars”, afirmou já Alexander Petrofski, director sénior para a gama 40 da Volvo. Acrescentando que “o desenho compacto deste novo motor permite oferecer a flexibilidade de que precisávamos, à medida que vamos introduzindo novas motorizações no XC40”.

Além deste pequeno 1,5 litros, o crossover sueco disporá ainda – dependendo do mercado – de motorizações a gasolina de 150 e 190 cv, além de várias versões, equipamento e opcionais. Sendo que, o nível de topo, poderá equipar jantes de 18, 19 e 20”.

XC40. Vale a pena optar pelo “baby-SUV” da Volvo?

O novo Volvo XC40 já está em produção na fábrica que a marca sueca possui na Bélgica, e em Portugal estará disponível ainda este ano, com preços a partir 36.639€ – valor pedido pela versão mais acessível 1.5 T3 a gasolina de 152 cv, com caixa manual, tracção à frente e nível de equipamento Momentum.