INEM

Tempo de espera médio de atendimento de chamadas para INEM desceu de 36 para 22 segundos

Tempo de espera médio nos primeiros 4 meses deste ano foi 22 segundos. Melhorias em relação a 2017 devem-se à contratação de mais pessoas e a melhorias técnicas, diz o presidente do INEM.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O tempo de espera de chamadas para o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) diminuiu este ano, depois de em 2017 ter aumentado para o dobro do que se verificava no ano anterior. Segundo dados do INEM, o tempo de espera médio entre janeiro e abril deste ano foi 22 segundos, enquanto em 2017 o tempo atingiu 36 segundos, o dobro do que aconteceu em 2016.

O presidente do instituto, Luís Meira, disse à agência Lusa que houve “melhorias feitas” para pôr os Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) a funcionar de forma mais eficiente, da contratação de mais pessoas a melhorias técnicas. Luís Meira frisou que o indicador do tempo médio de espera para atendimento é apenas uma parte de uma cadeia cujo fim último é “garantir a assistência médica o mais rapidamente possível”.

A contratação de mais recursos, a renovação de viaturas médicas e a contratação de uma equipa médica para controlar a atividade dos CODU e evitar “processos geradores de atrasos ou perdas de tempo” são algumas das medidas que Luís Meira vai apresentar na quarta-feira aos deputados da Comissão Parlamentar de Saúde. Uma das melhorias conseguidas com a entrada em pleno funcionamento de dois centros operacionais (Sul e Norte) foi conseguir a geolocalização automática de todas as chamadas recebidas, essencial para dirigir os meios.

Este mês foi concluído o concurso para contratar mais 100 técnicos de emergência pré-hospitalar e durante o ano passado entraram 41 assistentes técnicos através de mobilidade na função pública e prestação de serviços. O INEM passou a contar também com mais 16 médicos para a bolsa de prestadores de serviços no CODU e mais sete psicólogos. Luís Meira destacou também a renovação da frota automóvel do INEM, como as 41 novas viaturas que estão nos bombeiros e Cruz Vermelha. Entretanto, na primeira semana de Maio, o tempo médio de espera das chamadas baixou para 13 segundos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)