Sporting

O que revelam mesmo as mensagens trocadas no WhatsApp que colocaram a PGR a investigar o Sporting

1.050

O Correio da Manhã divulgou esta segunda-feira várias mensagens de WhatsApp que envolvem o Sporting num alegado esquema de corrupção no andebol. Explicamos o que cada uma delas quer dizer.

O Sporting foi campeão nacional de andebol na época 2016/17 e terminou com um jejum de 16 anos

NUNO FOX/LUSA

O alegado esquema de corrupção orquestrado pelo Sporting para conquistar o título de campeão nacional de andebol na época 2016/17 baseia-se em várias mensagens de voz trocadas entre dirigentes do clube no WhatsApp. As conversas têm três intervenientes: Paulo Silva, João Gonçalves e Gonçalo Rodrigues. O primeiro é o empresário de futebol que denunciou o esquema ao Correio da Manhã e servia como intermediário; o segundo era o interlocutor entre Paulo Silva e André Geraldes, o team manager do clube; o terceiro é coordenador do Gabinete de Apoio ao Atleta e Modalidades Profissionais dos leões, braço direito de Geraldes e o nome que liga todas as mensagens aos leões.

André Geraldes seria o líder do esquema: contudo, o então diretor para as modalidades do Sporting não surge em qualquer mensagem de voz.

As mensagens trocadas entre Silva, Gonçalves e Rodrigues revelam o modo como o Sporting terá pago aos árbitros para ser beneficiado nos seus jogos. Mas o esquema terá ainda sido usado para que o Benfica fosse beneficiado no jogo que disputou com o FC Porto e que deixou os leões isolados no topo da classificação.

Leia as mensagens divulgadas pelo Correio da Manhã (e também pela SIC) e a respetiva explicação:

O ABC-FC Porto

Em abril de 2017, antes do jogo ABC-FC Porto, Paulo Silva terá explicado a João Gonçalves o que fez para que o árbitro da partida prejudicasse os azuis e brancos – e as dificuldades que teve em atingir os objetivos.

Paulo Silva: Já falei com o homem. Dei-lhe a entender que se o ABC ganhasse ao Porto eu dava-lhe um prémio. Um prémio agradável para ele passar uns dias com a família. O gajo não me disse nem que sim nem que não; não foi muito direto. Vou aguardar.

João Gonçalves: Mas não é aquele gajo que tu já estiveste com ele? Porque é que não foste mais concreto com ele? Podias ter dito o valor e tudo: mil e quinhentos.

Paulo Silva: Este gajo… é um gajo chegado ao Porto, ok? E não quis estar com conversas muito claras porque estou a falar ao telefone. É o gajo com quem estive na Madeira, sim. Mas sei lá se o Porto não lhe ofereceu 2500 ou 3000 euros? E se eu lhe vou oferecer 1,5… o gajo diz: “Ó pá, este gajo vem com os putos à missa”.

O FC Porto acabou por ganhar ao ABC. Ao que tudo indica, André Geraldes terá enviado uma mensagem escrita a João Gonçalves onde é visível o seu desagrado. O team manager do Sporting escreveu: “O Paulo não falou nada com os gajos da Madeira”. Gonçalves tirou um printscreen da mensagem e enviou ao intermediário.

O Sporting-Águas Santas

A 10 de maio, o Sporting jogou com o Águas Santas. Antes do jogo, Gonçalo Rodrigues pediu a Paulo Silva que falasse com os árbitros da partida: principalmente com um, aparentemente mais suscetível, de nome Alberto.

Gonçalo Rodrigues: Paulo, estamos com dificuldades em encontrar o contacto do Alberto. Você viu o Facebook dele, tem que ser por ali. Apalpe o terreno, se é gajo que dá par ir ou não, ok? Faça isso.

Paulo Silva: Estive a ver os jogos que ele apitou este ano e foi quase tudo na segunda divisão, juvenis, juniores e por aí fora. Cheira-me a esturro, mas vamos ver o que dá. Será que não devíamos ir por um ou dois jogadores, ou três, do Águas Santas?

Alguns dias depois, o intermediário informa o interlocutor sobre a situação.

Paulo Silva: Já tenho o contacto. 

Gonçalo Rodrigues: Máquina. Logo lhe dizemos. Deixe-me analisar a questão com o André [Geraldes].

O Sporting acabou por vencer o Águas Santas mas André Geraldes não gostou da prestação do árbitro do jogo. E voltou a enviar uma mensagem escrita a João Gonçalves para mostrar o seu descontentamento. Mensagem essa que, mais uma vez, foi parar a Paulo Silva: “Deu m… o andebol. Fomos muita roubados. Aquilo não é estar connosco. Esquece. Vinham para nos f… Quando não fala [Paulo Silva] mais vale dizer. Hoje o que valeu foi a super equipa”.

O Sporting-ABC

Mais tarde, em jogo a contar para a Taça de Portugal de andebol, o Sporting perdeu com o ABC. O intermediário tentou explicar-se e desculpar o árbitro, garantindo que este fez tudo para beneficiar os leões mas a equipa não cumpriu.

Paulo Silva: Pá, marcam um livre de sete metros que poderiam não ter marcado, a acabar o jogo. A nosso favor, que é o que nos dá o empate. Os gajos puseram-nos no jogo várias vezes. Nós fomos muito incompetentes. Os gajos fizeram o que podiam ter feito.

O Benfica-FC Porto

No dia 20 de maio, o Benfica venceu o FC Porto pela margem mínima de um golo e o Sporting ficou isolado no topo da tabela classificativa. Paulo Silva terá subornado o árbitro do jogo, de maneira a que prejudicasse os azuis e brancos.

Gonçalo Rodrigues: Vou-lhe mandar um beijo na boca, Paulo, quando o vir. Está tudo muito contente. A ver se depois nos sentamos a falar um bocado. Mas nem é tempo de festejos, sequer. Os festejos antecipados dão mau resultado.

No dia seguinte, o intermediário pede a João Gonçalves o dinheiro para pagar a quantia prometida ao árbitro do Benfica-FC Porto e retirar a sua comissão, que seria de 350 euros.

João Gonçalves: Eu já te ligo. Tenho que ir a Lisboa. O chefe [André Geraldes] pediu para ir lá ter com ele, deve ser para me dar aquilo para eu depois te dar. Fica atento ao telefone que eu depois ligo-te para combinar contigo.

Paulo Silva deslocou-se então a Lisboa para recolher o dinheiro. João Gonçalves revela algum receio relativamente ao local combinado e pede que seja noutro sítio.

Paulo Silva: Eu estou a caminho de Lisboa. Portanto, estou por ali.

João Gonçalves: Não é boa ideia ser na bomba, porque têm câmaras e um gajo nunca sabe o dia de amanhã. Eu vou entrar aqui nesta rua que vai dar ao Areeiro. E vou parar aqui, algures à direita. Estou logo a seguir à paragem. Vês o meu carro estacionado. Paras logo à frente. 

O encontro entre os dois acontece e Paulo Silva reúne mais tarde com o árbitro do Benfica-FC Porto para lhe entregar a quantia devida. A 22 de maio de 2017, o intermediário conta, incrédulo, a Gonçalo Rodrigues, que o árbitro julgava ter sido corrompido por dirigentes ligados ao Benfica. 

Paulo Silva: Gonçalo, sabes como é que o c… se despediu de mim? “Abraço. Rumo ao 37!”. Filho da p….

O Sporting-Benfica

No mesmo dia, Paulo Silva e Gonçalo Rodrigues falam sobre a abordagem feita aos dois árbitros do Sporting-Benfica – o jogo do título -, marcado para 31 de maio. Os leões venceram por 25-23 e conquistaram o título nacional que escapava há 16 anos.

Paulo Silva: Gonçalo, já tratei da situação. Disse-lhes que se ganharmos dou-lhes um brindezinho. Falei-lhes no valor, claro, 1,5…e disse-lhes pá, pronto, “queremos muito ser campeões, se as coisas estiverem complicadas, eh pá, tem de dar aí uma mãozinha”. Ele garantiu-me que não nos vai prejudicar. E ficou assim a conversa.

Gonçalo Rodrigues: Excelente, é isso mesmo. Também temos de ser competentes para fazer a nossa parte, é isso mesmo.

Já depois do jogo, o braço direito de André Geraldes congratulou o intermediário.

Gonçalo Rodrigues: Foi, foi, foi, foi muito bom. Liguei para o meu pai a chorar, porque a última vez que fomos campeões estava com ele na nave de Alvalade. Eu era pequenino na altura. E foi muito bom. É este o caminho que a gente tem que…temos de ganhar em todas as modalidades, como no hóquei e no andebol e urgentemente temos de que ser campeões no futebol também. É este o caminho. Grande abraço. Disfrute!

A Procuradoria-Geral da República confirmou entretanto que foi instaurado um inquérito para investigar os eventuais crimes praticados pelos dirigentes ligados ao Sporting.

[Veja no vídeo quem é André Geraldes, o dirigente apontado como corrupto]

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)