Greve

Estivadores do Porto de Lisboa iniciam 15 dias de greve ao trabalho suplementar

Os estivadores do Porto de Lisboa iniciam esta segunda-feira duas semanas de greve ao trabalho suplementar, conforme informou o Sindicato dos Estivadores e da Atividade Logística (SEAL).

Tiago Petinga/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Os estivadores do Porto de Lisboa iniciam esta segunda-feira duas semanas de greve ao trabalho suplementar, conforme informou o Sindicato dos Estivadores e da Atividade Logística (SEAL).

Em comunicado enviado em 18 de maio, o SEAL referiu que o pré-aviso de greve ao trabalho para lá do período normal, em dias úteis, e “sobre todo o trabalho em sábados, domingos e feriados”, entre as 8h00 de segunda-feira e as 8h00 de 2 de junho, foi emitido no passado dia 6.

O sindicato afirmou, na altura, que tinha “algum otimismo moderado” num “entendimento global” na reunião realizada na passada quinta-feira, “a última que seria possível realizar antes de a anunciada greve se tornar efetiva”.

“Para nosso espanto, chegou ao nosso conhecimento que, na véspera da reunião, o grupo Yilport tinha subido mais um degrau nas suas práticas anti-sindicais, determinando que seria averbada falta injustificada e, adicionalmente, seria impedido de retomar o trabalho nas 24 horas seguintes qualquer trabalhador, dos seus quadros ou da ‘pool’, que não comparecesse na empresa em virtude da realização de qualquer reunião de trabalhadores que as mesmas, unilateral e discricionariamente considerassem ‘ilegal'”, lê-se no documento.

O sindicato acrescentou que outras “práticas anti-sindicais” estão a ser analisadas pelo Ministério Público e que vários exemplos estavam enumerados no pré-aviso de greve, sublinhando que a posição da empresa acabou por dominar a reunião de quinta-feira.

“O representante da empresa do grupo Yilport dividiu-se entre as ordens que alegadamente teria que receber de Istambul e a sua argumentação jurídica tão radical e incompreensível que nem os seus próprios pares a corroboram”, segundo o comunicado.

O texto no pré-aviso de greve acrescenta também como motivos os impasses na atualização salarial e na distribuição do trabalho do porto.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições

Contagem decrescente /premium

Manuel Villaverde Cabral

O grande problema do PS será prometer o fim da «geringonça» sem que as muletas do governo – o PCP, o BE e os seus eleitorados – lhe venham a negar uma maioria que o PS já só poderá fazer com Rui Rio. 

Crónica

A lobotomia nasceu aqui /premium

Alberto Gonçalves
835

Quando não estão a pagar impostos ou a ver a CMTV, as vítimas vão tirar “selfies” com os carrascos e prometem-lhes devoção e votos. Os portugueses apreciam ser humilhados ou não percebem o que são?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)