Gwyneth Paltrow

Gwyneth Paltrow revela como Brad Pitt “encostou” Weinstein à parede

269

A atriz norte-americana contou como Brad Pitt "encostou" Harvey Weinstein à parede depois de saber que a tinha assediado sexualmente.

Getty Images for Girlboss

A atriz norte-americana Gwyneth Paltrow — uma das primeiras a acusar Harvey Weinstein de assédio sexual — contou na quarta-feira como Brad Pitt a defendeu do produtor norte-americano quando soube que ele a tinha assediado. “Se voltas a fazê-la sentir-se desconfortável novamente, eu mato-te”, disse o então namorado da atriz a Weinstein.

Em entrevista ao programa de rádio de Howard Stern, Paltrow recordou como tudo aconteceu. Foi em 1995, durante a apresentação de “Hamlet” em Broadway, que Brad Pitt viu Weinstein e aproveitou para confrontá-lo cara a cara, deixando claro que, se mais alguma vez tocasse nela, iria arrepender-se.

Foi quase como encostá-lo à parede”, disse Paltrow, acrescentando: “Foi tão bom, porque o que ele fez foi usar a sua fama e poder para me proteger numa altura em que eu ainda não tinha fama ou poder”.

Depois do episódio entre o ator norte-americano e o produtor, Weinstein não voltou a ser inconveniente com Paltrow, pelo que ela ainda hoje se sente grata pela ação do então namorado. “Harvey nunca mais foi inapropriado comigo”, afirmou.

Paltrow tinha apenas 22 anos quando Weinstein a contratou para interpretar a personagem no filme “Emma”. Antes de seguirem para as filmagens, Weinstein convidou a atriz para um encontro de trabalho, no hotel  Peninsula Beverly Hills — que acabou com o produtor a tocar-lhe e a sugerir que fizessem massagens um ao outro, lê-se na reportagem publicada pelo The New York Times, na qual várias atrizes acusaram Harvey Weinstein de assédio sexual.

A atriz conta que ficou “surpreendida” pelo incidente, uma vez que ele nunca tinha tido uma atitude semelhante antes. “Foi estranho. Eu estava sozinha no quarto com ele. Foi do nada. Fui surpreendida. Fiquei chocada”, contou. Paltrow contou que depois do incidente, Weinstein lhe ligou a ameaçá-la: “Eu pensei que ele me ia despedir. Ele gritou comigo durante algum tempo. Foi brutal.”

Harvey Weinstein já foi acusado de várias formas de assédio sexual por mais de 66 mulheres desde outubro. Quando o escândalo rebentou, o produtor de cinema foi obrigado a abandonar a empresa de cinema independente que fundou e foi depois expulso do sindicato de produtores de Hollywood.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Turquia

A solidão de Erdoğan /premium

Diana Soller

A Turquia é um Estado tampão que retém cerca de três milhões de refugiados – a maioria oriundos da Síria. Um gesto mais irrefletido de Erdoğan pode levar a uma crise sem precedentes na Europa.

Governo

O fracasso da geringonça /premium

Alexandre Homem Cristo

No domínio táctico, a geringonça foi uma vitória das esquerdas. No domínio político, não é mais do que a capitulação de PCP/BE em troca de acesso ao poder, mas nunca de real influência na governação.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)