Enviado especial do Observador à Rússia (em Moscovo)

A zona mista estava quase fechada, faltavam passar poucos jogadores e os portugueses já estavam no autocarro quando Nordin Amrabat se encaminhava para essa zona do estádio. Antes da última curva, foi começando a falar em espanhol até quase de uma forma crispada com um jornalista da Onda Cero. E eis que, mesmo no final, uma frase que vai dar muito que falar.

“O árbitro esteve muito mal, muito mal”, disse enquanto andava para a frente, antes de começar a agarrar na camisola e lançar a “bomba”. “O árbitro falou com o Pepe antes do jogo para lhe pedir a camisola”, atirou sem mais detalhes sobre o árbitro americano Mark Geiger, numa afirmação que também foi comentada com outros companheiros de equipa. Curiosamente, o ala que foi um dos melhores do conjunto marroquino acabou o encontro com um abraço ao central português. E tem uma história no futebol que colocava como bastante improvável o cenário de pisar o maior palco mundial da modalidade.

Frustração marroquina, cumprimentos entre portugueses e, lá ao fundo, o abraço entre Pepe e Amrabat (Maddie Meyer/Getty Images)

Irmão de Sofyan Amrabat, jogador do Feyenoord, Nourin é um dos vários jogadores do conjunto marroquino que nasceu na Holanda mas acabou por ser dispensado pelo Ajax com apenas 13 anos por sofrer de síndrome de Osgood-Schlatter, que colocava entraves no desenvolvimento físico. O pai recomendou então que o filho passasse para um nível mais baixo do futebol, não deixando de jogar mas atuando em equipas amadoras. É assim que chega ao SV Huizen, onde podia treinar e jogar ao mesmo tempo que lavava pratos, fazia limpezas e ajudava na cozinha com ambição de ir estudar depois na faculdade. Entre 2006 e 2008, tudo mudou: destacou-se no modesto Omniworld e saltou para o VVV Venlo; destacou-se no VVV Venlo e passou para o PSV. Em 2011, o ala saiu pela primeira vez da Holanda, ao serviço dos turcos do Kayserispor. Seguiram-se Galatasaray, Málaga, Watford e Leganés, onde jogou na última temporada por empréstimo, com três golos em 35 jogos.

Curiosamente, Amrabat esteve para não defrontar Portugal, depois de um choque com o iraniano Amiri que o obrigou a sair a cerca de 20 minutos do final do encontro da primeira jornada e a passar a noite num hospital em São Petersburgo por precaução, após ter sentido tonturas no seguimento do lance. Na altura, o departamento médico de Marrocos fez questão de dizer que cumpriu todos os pressupostos da FIFA em relação a qualquer concussão que um jogador sofra. De referir que, por causa disso, o jogador do Watford começou a partida desta tarde com uma proteção na cabeça que acabou por tirar antes do intervalo.

Amrabat num duelo com Raphael Guerreiro, quando ainda tinha a proteção na cabeça (KIRILL KUDRYAVTSEV/AFP/Getty Images)

Mas essa não foi a única vez que o nome do número 3 da Seleção Nacional foi abordado. Antes, Hervé Renard, selecionador de Marrocos, tinha falado da ação do central no golo de Ronaldo. “Não cabe a mim comentar sobre a arbitragem, só peço que observem, que analisem as repetições das jogadas, porque uma falta deveria ter sido marcada. Um erro, uma falta cometida e Cristiano, como sempre, apareceu. Não fomos muito eficazes, mas gostaria de ser franco. Vejam esse canto e o que o Pepe está a fazer. Façam análise e escrevam a verdade. Se criticar os árbitros também vou ser criticado e vou ser punido, sancionado. Devem escrever que estamos muito orgulhosos do nosso desempenho. Pode parecer estranho, mas a equipa sente. Vamos jogar com a Espanha e tentar terminar da melhor forma possível”, disse, aludindo a uma carga que deixou Khalid Boutaib no chão sem falar também do prolongamento desse lance, que teve Benatia a empurrar o central antes do choque.

Entre um e outro momento, mais uma farpa ao defesa do conjunto comandado por Fernando Santos vinda do antigo internacional inglês e agora comentador Gary Lineker. “Veem? O Pepe continua um idiota”, escreveu o ex-goleador de Leicester, Everton, Barcelona, Tottenham e Nagoya Grampus Eight, colocando também a pergunta “WTF?” (“O que é isto?) no lance em que Benatia deu duas palmadas nas costas do central, que caiu e pediu explicações sobre o gesto ao árbitro.