Nico, filho do também ex-piloto de Fórmula 1 (F1) Keke Rosberg (e campeão mundial em 1982), é um caso raro na disciplina máxima do desporto automóvel. Depois de se dedicar à competição desde que praticamente começou a andar, atingiu a F1 aos 21 e depois de se sagrar campeão do mundo 10 anos depois, em 2016, decidiu arrumar o capacete para espanto geral. Acusado por alguns de não ter aguentado a pressão e de alguma dose de cobardia por outros, a realidade é que Nico é um excelente piloto, que se largou as corridas, não abriu mão dos automóveis. Não só continua embaixador da Mercedes como mantém um vlog em que contacta com o que de melhor a indústria tem para oferecer, desportivos ou não.

Desta vez e aproveitando uma deslocação à China, Nico Rosberg conduziu o Nio ES8, o SUV eléctrico chinês produzido pela mesma marca que se tornou recordista de Nürburgring. O modelo utilizado para bater o recorde na difícil pista alemã foi o desportivo de dois lugares EP9, com uns fabulosos 1.360 cv, o que lhe permite atingir os 100 km/h em 2,7 segundos e os 200 km/h em 7,1 segundos, para depois conseguir rodar a 313 km/h.

7 fotos

Mas o que Nico conduziu na China foi o SUV ES8, com sete lugares e que é capaz de trocar as baterias “secas” por outras recarregadas a 100% em somente 7 minutos, através de um sistema que substitui os acumuladores por baixo. Como SUV que é, o ES8 possui tracção às quatro rodas, para o que monta um motor no eixo dianteiro e outro no traseiro, com um total de 643 cv, ligeiramente mais do que o mais possante dos Model X da Tesla. Veja aqui como tudo aconteceu: