Sporting

“O Sporting precisa de um líder que o ame e respeite”. Bruno de Carvalho apresentou recandidatura

1.053

250 mil sócios, um estádio inteligente e um título europeu no futebol são algumas das metas que Bruno de Carvalho anunciou na apresentação da recandidatura à presidência do Sporting.

MIGUEL A. LOPES/LUSA

A apresentação da candidatura de Bruno de Carvalho a um novo mandato à frente do Sporting, esta quarta-feira, começou debaixo de um forte aplauso e uma sala preenchida. Na declaração inicial, o ex-presidente do clube começou por justificar a nova candidatura com a necessidade do Sporting ter “um líder que o ame e respeite”.

A apresentação da candidatura teve lugar no hotel Vip Grand Lisboa, de importância simbólica para o ex-líder sportinguista porque foi lá que se apresentou como candidato em 2013.

Bruno de Carvalho prometeu “lealdade”, reforçou uma liderança que defenda “com verdade e integridade os superiores interesses do clube” e admitiu um período de “reflexão importante” para que “não se voltem a cometer os mesmos erros”. “Queremos construir um futuro que se quer rigoroso e transparente”, acrescentou.

Os aplausos continuaram, o candidato fez uma longa exposição sobre o que foi feito enquanto esteve na presidência do clube (de 2013 a 2018) e de seguida, enumerou algumas das medidas para a próximo mandato. Um dos objetivos que reforçou várias vezes foi o aumento da captação de sócios. 250 mil é a nova meta. “O nosso Sporting Clube de Portugal quer-se dos sócios e para os sócios. Não existe ADN sem sócios”, disse, anunciando que Alvalade será “um estádio inteligente e de elite” — o primeiro em Portugal — e que o Pavilhão João Rocha, “a partir de 8 de setembro [dia das eleições], com a vontade dos sócios, continuará a ser propriedade do Sporting Clube de Portugal”.

Aumentar o número de sócios no estrangeiro, eliminar a 13ª quota de todos os sócios menores de idade, enviar gratuitamente o jornal Sporting aos associados e criar uma aplicação para os sócios foram outras das medidas anunciadas.

Na hora de falar sobre o futebol, o ex-presidente dos Leões deixou uma meta específica: “Um dos nossos objetivos é conquistar um troféu europeu no futebol”, algo que só aconteceu na época de 1963/1964 com a conquista da Taça das Taças.

Já sobre a situação financeira do clube, que nos últimos tempos tem sido tema de conversa, Bruno de Carvalho assegurou que quer “percorrer um caminho de sustentabilidade financeira”, acrescentando que pretende a manutenção da maioria da SAD do Sporting já em 2019.

Nas escolhas para os órgãos sociais, Bruno de Carvalho conta com o ex-vice-presidente Subtil de Sousa no Conselho Fiscal e Disciplinar, juntamente com Fernando de Carvalho — o único que não se demitiu no órgão anterior -, e Bernardo Trindade Barros, vice-presidente da Comissão. Já no Conselho Diretivo, presidido por si, Bruno de Carvalho terá quatro vice-presidentes: Alexandre Godinho, Pedro Lopes Ferreira, Erik Ali Kurgy e Luís Paulo Rodrigues, o vogal Fernando Borja Santos e os suplentes Rui Henriques e Francisco Sá Carneiro.

A forma como o ex-dirigente vai prosseguir com a candidatura, estando suspenso de sócio, foi a questão que dominou a conferência. Mas a resposta não chegou. Bruno de Carvalho remeteu “todas as dúvidas para os advogados” e sublinhou ainda que espera “que haja o máximo de candidatos possíveis” nas eleições do dia 8 de setembro.

Na corrida às eleições para a presidência do Sporting, recorde-se, já estão também Frederico Varandas, Pedro Madeira Rodrigues, Dias Ferreira, Fernando Tavares Pereira e Bruno de Carvalho.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)