Rádio Observador

CP

Governo garante que privatização da CP é “fantasia”

A privatização da CP - Comboios de Portugal é uma "fantasia", assegurou o ministro do Planeamento e Infraestruturas esta segunda-feira, na sequência de notícias sobre esse cenário.

JOSE SENA GOULAO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A privatização da CP – Comboios de Portugal é uma “fantasia”, garantiu esta segunda-feira o ministro do Planeamento e Infraestruturas, na sequência de notícias sobre esse cenário. “Chamo a isso uma fantasia. Essa ideia de tentar atribuir a este Governo qualquer ambição de privatizar a CP é apenas uma fantasia”, sublinhou o governante, garantindo que o Governo “afastou em definitivo” a entrega a privados da Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário – EMEF e da linha de Cascais.

Reconhecendo que “boa parte da frota é antiga” e que há “problemas de manutenção”, Pedro Marques notou o reforço dos recursos da EMEF nesta legislatura e o recente anúncio de contratação de mais 102 pessoas.

“Complementarmente vamos alugar material circulante a Espanha, diesel e elétrico, e numa perspetiva de longo prazo vamos adquirir mais material circulante. São concursos com dezenas ou centenas de milhões de euros, que têm que ser juridicamente bem preparados, e enquanto estamos a preparar esse processo e porque demora alguns anos a ser entregue esse material, vamos alugar mais material à Renfe e vamos ter mais gente a fazer manutenção”.

Estando a negociação a decorrer ainda com Espanha, o ministro escusou-se a revelar, por agora pormenores como números de composições que serão alugadas e custos , mas indicou a “expectativa de que o primeiro material circulante possa estar em funcionamento na rede provavelmente no início do ano”. No domingo, a Associação Portuguesa dos Amigos dos Caminhos de Ferro (APAC) pediu esta segunda-feira esclarecimentos ao Governo sobre o processo de aquisição de comboios pela CP e alertou para “o caos que se vive na rede ferroviária”.

Numa carta enviada a Pedro Marques, a associação pede explicações sobre “a atualidade ferroviária e as perspetivas da sua evolução”, tendo em vista “a grave situação de colapso operacional em que se encontra de modo muito particular a CP”, e “censura fortemente” o caos que se vive na rede ferroviária para o qual contribuiu “décadas de desinvestimento”.

O Ministério do Planeamento e Infraestruturas avançou no mesmo dia, em comunicado, que “a CP e o Governo estão a preparar o lançamento de um concurso internacional para aquisição de comboios que dote a empresa do material circulante adequado ao compromisso que tem para com os portugueses, assim como ao seu desenvolvimento nas várias frentes em que opera: serviços suburbanos, regionais e longo curso”.

O lançamento desse concurso está previsto no Orçamento do Estado para 2018 e resulta de uma proposta apresentada pelo atual Conselho de Administração da CP, cuja concretização tem vindo a ser desenvolvida em coordenação com o Governo, adianta o comunicado.

“Tendo em conta a tramitação temporal normalmente associada a este tipo de aquisições, a CP e o Governo entenderam manter o programa de aluguer de material circulante a Espanha, de forma a suprir as necessidades de curto no serviço regional”, sublinha o comunicado.

Em simultâneo, a CP está a “investir fortemente” na manutenção do material circulante, através da reestruturação da Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário (EMEF), para a qual acaba de ser autorizado o recrutamento de 102 trabalhadores, adianta o ministério.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Transportes Públicos

A CP e a Festa dos Tabuleiros

João José Brandão Ferreira

Já alguém fez contas a quanto as Finanças deixariam de arrecadar em impostos nos combustíveis se a maior parte dos portugueses deixasse o carro para andar encaixotada nos transportes públicos?

PSD

Rui Rio precisa do eleitorado de direita /premium

João Marques de Almeida

O eleitorado de direita deve obrigar Rui Rio a comprometer-se que não ajudará o futuro governo socialista a avançar com a regionalização e a enfraquecer o Ministério Público. No mínimo, isto.

Combustível

Os motoristas e o mercado

Jose Pedro Anacoreta Correira

Quando o Governo não consegue instrumentalizar politicamente os sindicatos, passa ao ataque. A luta e defesa dos trabalhadores é só para trabalhadores do Estado e filiados na CGTP.

PSD

Rui Rio precisa do eleitorado de direita /premium

João Marques de Almeida

O eleitorado de direita deve obrigar Rui Rio a comprometer-se que não ajudará o futuro governo socialista a avançar com a regionalização e a enfraquecer o Ministério Público. No mínimo, isto.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)