PSP

PSP detém 12 carteiristas em Lisboa no espaço de uma semana

Para além dos 12 detidos, que possuem antecedentes criminais pelo mesmo tipo de ilícito, foram identificados ao longo deste período 17 carteiristas, informa a PSP em comunicado.

MÁRIO CRUZ/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A Polícia de Segurança Pública (PSP) de Lisboa, através da Divisão de Investigação Criminal, deteve 12 carteiristas, com idades entre os 22 e os 50 anos, no espaço de uma semana, foi esta quarta-feira anunciado.

Em comunicado, a PSP avança que a primeira detenção foi efetuada na passada quarta-feira, na freguesia de Santa Maria Maior, em Lisboa, onde dois homens e uma mulher roubaram um telemóvel no valor de 700 euros a um turista, que, entretanto, foi devolvido.

Já na quinta-feira, um homem e uma mulher foram detidos na estação de metro dos Anjos, na sequência de um furto de uma carteira que continha 100 euros, dinheiro entretanto devolvido à vítima, segundo a mesma nota.

A terceira detenção ocorreu na segunda-feira, no interior do elétrico 15, onde duas mulheres roubaram uma carteira no valor de 50 euros que continha documentos e 105 euros em dinheiro.

Na terça-feira, a PSP deteve um homem e uma mulher, na freguesia de Santa Maria Maior, que furtaram uma carteira a uma turista, que continha 5,70 euros em dinheiro e documentos, tendo os valores sido apreendidos e entregues à vítima.

Por fim, dois homens e uma mulher foram detidos esta quarta-feira no Pátio Dom Fradique, depois de terem roubado uma carteira e um telemóvel a uma turista, bens avaliados em 404 euros. Para além dos 12 detidos, foram identificados ao longo deste período 17 carteiristas, informa a PSP no comunicado.

A mesma nota dá conta ainda que todos estes suspeitos possuem antecedentes criminais pelo mesmo tipo de ilícito, sendo que três deles encontram-se a aguardar presença à Autoridade Judiciária do Tribunal da Comarca de Lisboa e aos restantes nove foram aplicadas medidas de coação não preventivas da liberdade.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PSD

Quando o Papa não é católico /premium

Rui Ramos

Para o PSD, a exclusão do PCP e do BE é a grande prioridade nacional. Mas para isso, é indiferente votar PSD ou PS. Como explicaram os quadros do BCP, uma maioria absoluta do PS também serve.

Corrupção

O caso da OCDE e a corrupção /premium

Helena Garrido

O que se passou com a OCDE foi grave. O responsável pelo estudo foi impedido de estar presente na apresentação. E uma conferência da Ordem dos Economistas foi cancelada. Aconteceu em Portugal.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)