Rádio Observador

Benfica

Rui Vitória recusa lamentos e antecipa um Boavista que “vai dificultar a vida”

O treinador do Benfica afirmou que "não vale a pena lamentar" o calendário apertado dos 'encarnados' em agosto e antecipou dificuldades na visita ao Boavista, no encontro da segunda jornada da I Liga.

ERDEM SAHIN/EPA

O treinador do Benfica afirmou esta sexta-feira que “não vale a pena lamentar” o calendário apertado dos ‘encarnados’ em agosto e antecipou dificuldades na visita ao Boavista, no encontro da segunda jornada da I Liga portuguesa de futebol. Rui Vitória, que fazia a antevisão do jogo com os ‘axadrezados’, marcado para sábado, recusou-se a lamentar os oito jogos que as ‘águias’ têm até 2 de setembro, entre campeonato e pré-eliminatórias da Liga dos Campeões.

“Vamos fazer tudo para ganhar e importa ganhar em qualquer momento, seja no primeiro minuto ou no último. Gostávamos de ter mais tempo entre jogos, mas vai ser assim até dia 2 de setembro. Não vale a pena estar a lamentar. Importa preparar a equipa e mentalizar os jogadores”, afirmou, em conferência de imprensa. De resto, o técnico voltou a manifestar a ideia de que prefere “jogar ao invés de treinar”, abordando, posteriormente, as qualidades de um Boavista que “vai dificultar a vida” ao Benfica.

“É uma equipa de qualidade, que se bate bem, defensivamente bem organizada e com jogadores com experiência, como o Fábio Espinho e o David Simão. O Boavista vai querer ganhar no seu reduto, mas vamos por o nosso futebol em campo e vamos ao Bessa para ganhar”, salientou.

Apesar de não ter Castillo e Jonas à disposição, ambos devido a lesão, Rui Vitória lembrou que tem outros ‘argumentos’ ofensivos para a deslocação ao Porto: “Os avançados à disposição são Seferovic, Ferreyra, João Félix, Rafa, Zivkovic, Salvio, Cervi, Pizzi, Alfa Semedo, Grimaldo, André Almeida. Temos vários jogadores que já fizeram golos.”

Em destaque tem estado um dos mais jovens do plantel, Gedson Fernandes, que voltou a merecer elogios por parte do treinador. Rui Vitória aproveitou mesmo a ocasião para destacar a estratégia do clube e equipa técnica no que diz respeito à aposta em jogadores da formação.

“No Benfica parece que se tornou fácil o aparecimento de jogadores. Isto não é estalar os dedos e já está. Há jogadores de qualidade na formação em todos os clubes de todo o mundo. No Benfica houve sempre jogadores de qualidade. Amanhã (sábado), por exemplo, vamos defrontar um jogador que era um craque da formação do Benfica, o David Simão”, começou por dizer.

Rui Vitória continuou a explanar as suas ideias sobre o tema e foi perentório: “O que faz a diferença é a porta aberta na equipa principal, seja no Benfica ou noutro lado qualquer, mas também o que é transmitido pelos treinadores, pelas pessoas que estão à volta e pelos colegas, de que o futebol dos meninos é diferente do futebol dos adultos. O Gedson apreendeu isso rapidamente.”

O técnico benfiquista mostrou-se ainda “muito contente” com a primeira chamada de Cervi à seleção principal da Argentina, para os particulares com Guatemala e Colômbia, em setembro. Benfica e Boavista jogam no sábado, a partir das 19h00, no Estádio do Bessa, no Porto.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)