Cerca de 50 contadores, escritores e mediadores de leitura vão transformar Beja na “cidade dos contos”, entre quarta-feira e domingo, durante o 15.º Palavras Andarilhas, que inclui iniciativas para quem gosta de contar e ouvir histórias.

Os convidados, nacionais e estrangeiros, vão participar nas iniciativas do Palavras Andarilhas divididas pelos Encontro de Aprendizes do Contar e Festival de Narração “Eu conto para que tu sonhes” e que vão decorrer em vários espaços da cidade e de aldeias do concelho.

Na edição deste ano, o Palavras Andarilhas, organizado bianualmente pela Câmara de Beja para promover a leitura, a narração oral e a literatura, “volta ao formato original”, disse esta terça-feira à agência Lusa a produtora do evento, Cristina Taquelim.

O Palavras Andarilhas volta a incluir o Encontro de Aprendizes do Contar, que tem uma componente de formação para profissionais de leitura, narração oral e literatura, e o Festival de Narração “Eu conto para que tu sonhes”, através do qual se abre ao público em geral com várias iniciativas e que nos últimos dois anos foi substituído pelo Festival de Contos do Mundo.

Através do Encontro de Aprendizes do Contar, entre quinta-feira e domingo, durante o dia, especialistas da área vão ensinar a participantes inscritos, sobretudo mediadores de leitura, práticas de animação de leitura e de narração oral através de várias iniciativas de formação.

Trata-se de conferências, conversas, oficinas de formação e tertúlias que propõem “olhares diversos sobre a arte da palavra dita e impressa” e vão decorrer na Escola Secundária Diogo Gouveia, na Biblioteca Municipal e no Jardim Público de Beja.

Entre quarta-feira e domingo, o Palavras Andarilhas abre-se ao público em geral com o Festival de Narração “Eu conto para que tu sonhes”, com várias iniciativas gratuitas, como sessões de contos, em vários espaços da cidade e de aldeias do concelho, e o Mercadinho Andarilho, durante o dia, no Jardim Público.

O mercadinho vai contar com a participação de mais de 15 livreiros e muitos criadores para mostra e venda de livros e obras de artistas plásticos e incluir “bons pretextos para ver, ler e mercar”.

A “primeira dose” de sessões de contos do festival, a cargo dos contadores Jorge Serafim, Luzia do Rosário e Thomas Bakk, vai decorrer na rua da Mouraria, na quarta-feira, a partir das 21:30, através da iniciativa “Há contos na Mouraria”.

Os serões de quinta, sexta e sábado vão ser animados com sessões de contos, a partir das 21:30, no auditório do Jardim Público, a cargo de narradores de vários cantos do mundo, como Ana Garcia Castellano, Virginia Imaz, Pablo Albo, Jorge Serafim, Tâmara Bezerra, Carlos Marques, Alexis Diaz Pimienta e Thomas Bakk.

Através da iniciativa “Contos d’ir ao fresco”, o festival sai para fora da cidade nos serões de quinta, sexta e sábado para contadores contarem contos em espaços públicos de seis aldeias do concelho de Beja.