A Comboios de Portugal (CP) vai assinar esta segunda-feira, em Madrid, um protocolo com a Renfe (um das empresas públicas que gere a rede ferroviária espanhola) para alugar quatro comboios a diesel, que deverão começar a chegar a Portugal no início de 2019.

As composições pretendem reforçar as linhas do Oeste, linha do Algarve e da linha do Alentejo, disse o secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. d’Oliveira Martins, à TSF. “A CP depois decidirá em que termos é que esse material circulante ficará afeto a essas linhas.”

A transportadora ferroviária portuguesa tem, atualmente, alugadas 20 composições à Renfe, pelas quais paga sete milhões de euros por ano, ou cerca de 350 mil euros por comboio. O Ministério do Planeamento e das Infra-estruturas não quis adiantar à Lusa qual o preço a ser pago por cada nova composição.

Segundo uma nota do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas português, o protocolo “contempla a extensão a mais unidades do contrato de aluguer de material circulante a diesel existente entre a Renfe e a CP”. O acordo prevê também a “realização de testes técnicos com vista ao aluguer de unidades elétricas pela empresa portuguesa” à Renfe e a troca de experiências de manutenção de comboios entre as empresas de manutenção da CP (EMEF) e a empresa espanhola.

À assinatura do protocolo pelos presidentes da Renfe e da CP – Comboios de Portugal assistem o secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Habitação espanhol, Pedro Saura, e o secretário de Estado das Infraestruturas português, Guilherme W. d’Oliveira Martins.

O acordo é formalizado na véspera de o presidente da CP, Carlos Gomes Nogueira, ser ouvido no parlamento sobre a “degradação do material e do serviço prestado”, numa audição pedida pelo PSD, segundo a página da Assembleia da República na internet. Na quinta-feira, é a vez de o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, estar na comissão permanente para debater a situação da ferrovia, que tem sido motivo de queixas.

O Governo tem dito que o aluguer de comboios pela CP visa suprir as necessidades enquanto se espera pelo concurso para a compra de comboios. O concurso ainda será lançado e poderá demorar três a quatro anos.

Em 20 de agosto, após uma visita às oficinas de Campolide, em Lisboa, o presidente da CP falou no eventual aluguer de seis a dez comboios.

Portugal apenas pode alugar comboios a Espanha, uma vez que ambos os países têm a mesma distância entre carris, a chamada bitola ibérica. Ainda assim, os comboios da Renfe têm de sofrer adaptações para circularem em Portugal, a nível de segurança e sinalização. Necessitam também de homologação por parte do IMT — Instituto da Mobilidade e dos Transportes.