Rádio Observador

Comboios

Portugal vai alugar mais quatro comboios a diesel à espanhola Renfe

384

A Comboios de Portugal tem 20 composições alugadas à Renfe, pelas quais paga sete milhões de euros por ano. Em 2019, chegam mais quatro.

O reforço será feito nas linhas do Oeste, do Alentejo e do Algarve

LUIS FORRA/LUSA

A Comboios de Portugal (CP) vai assinar esta segunda-feira, em Madrid, um protocolo com a Renfe (um das empresas públicas que gere a rede ferroviária espanhola) para alugar quatro comboios a diesel, que deverão começar a chegar a Portugal no início de 2019.

As composições pretendem reforçar as linhas do Oeste, linha do Algarve e da linha do Alentejo, disse o secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. d’Oliveira Martins, à TSF. “A CP depois decidirá em que termos é que esse material circulante ficará afeto a essas linhas.”

A transportadora ferroviária portuguesa tem, atualmente, alugadas 20 composições à Renfe, pelas quais paga sete milhões de euros por ano, ou cerca de 350 mil euros por comboio. O Ministério do Planeamento e das Infra-estruturas não quis adiantar à Lusa qual o preço a ser pago por cada nova composição.

Segundo uma nota do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas português, o protocolo “contempla a extensão a mais unidades do contrato de aluguer de material circulante a diesel existente entre a Renfe e a CP”. O acordo prevê também a “realização de testes técnicos com vista ao aluguer de unidades elétricas pela empresa portuguesa” à Renfe e a troca de experiências de manutenção de comboios entre as empresas de manutenção da CP (EMEF) e a empresa espanhola.

À assinatura do protocolo pelos presidentes da Renfe e da CP – Comboios de Portugal assistem o secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Habitação espanhol, Pedro Saura, e o secretário de Estado das Infraestruturas português, Guilherme W. d’Oliveira Martins.

O acordo é formalizado na véspera de o presidente da CP, Carlos Gomes Nogueira, ser ouvido no parlamento sobre a “degradação do material e do serviço prestado”, numa audição pedida pelo PSD, segundo a página da Assembleia da República na internet. Na quinta-feira, é a vez de o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, estar na comissão permanente para debater a situação da ferrovia, que tem sido motivo de queixas.

O Governo tem dito que o aluguer de comboios pela CP visa suprir as necessidades enquanto se espera pelo concurso para a compra de comboios. O concurso ainda será lançado e poderá demorar três a quatro anos.

Em 20 de agosto, após uma visita às oficinas de Campolide, em Lisboa, o presidente da CP falou no eventual aluguer de seis a dez comboios.

Portugal apenas pode alugar comboios a Espanha, uma vez que ambos os países têm a mesma distância entre carris, a chamada bitola ibérica. Ainda assim, os comboios da Renfe têm de sofrer adaptações para circularem em Portugal, a nível de segurança e sinalização. Necessitam também de homologação por parte do IMT — Instituto da Mobilidade e dos Transportes.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Comboios

A bordo de um InterRegional

Teresa Cunha Pinto
198

Aceita-se que quem faça viagens nos comboios urbanos possa ir de pé, mas num comboio que liga a Régua ao Porto (1h40 de viagem) não é aceitável.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)