Três bombeiros morreram e 13 pessoas ficaram feridas, em estado grave, na sequência de um incêndio que deflagrou esta quarta-feira num prédio pertencente ao governo provincial de Gauteng, na baixa de Joanesburgo, antiga sede do Banco de Lisboa.

O edifício de 23 andares na Sauer Street, no centro da capital sul-africana, onde funcionou a antiga sede do Banco de Lisboa (atualmente Mercantile Bank, do grupo Caixa Geral de Depósitos) encontrava-se degradado e albergava serviços públicos do governo de Gauteng (província envolvente a Joanesburgo). O ministro do Desenvolvimento Económico de Gauteng, Jacob Mamabolo, confirmou aos jornalistas, no local, a morte dos três bombeiros.

Segundo Mamabolo, dois bombeiros sucumbiram a ferimentos graves ao ficarem retidos no cimo do prédio, acrescentando que o terceiro caiu do edifício, quando combatia o incêndio. O governante adiantou que 13 pessoas foram evacuadas para um hospital local próximo, onde se encontram em tratamento médico. Outros quatro bombeiros foram igualmente hospitalizados, dois dos quais nos cuidados intensivos, adiantou.

Jacob Mamabolo disse ainda que todos os funcionários públicos foram evacuados do edifício e que vão permanecer em casa até serem transferidos para outros espaços. “O edifício não cumpre os padrões de saúde e segurança ocupacional, não estava de acordo com os regulamentos básicos”, avançou aos jornalistas Mamabolo.

Desconhece-se até ao momento as causas do incêndio que, segundo as autoridades, irrompeu no 23.º andar do edifício. Testemunhas disseram que o incêndio ocorreu no último andar, por volta das 10h30 (09h30 de Lisboa). As autoridades deram o incêndio como extinto quase oito horas depois e anunciaram o isolamento da área durante todo o dia de quinta-feira.

O governador de Gauteng e político do Congresso Nacional Africano (ANC), David Makhura, que visitou o local ao princípio da noite desta quarta-feira, disse aos jornalistas que o governo provincial avalia anualmente o estado do parque imobiliário público, para renovação ou desativação completa, tendo recebido nesse sentido um relatório na passada terça-feira.

Gostaria de aplaudir os bombeiros pela resposta rápida ao local. Dizer ainda que o governo de Gauteng avalia todos os anos o estado em que se encontram os prédios públicos, incluindo hospitais na cidade, e recebemos o relatório na semana passada”, disse Makhura.

“Temos vários edifícios na baixa da cidade de Joanesburgo que já desativamos e onde as pessoas foram transferidas para outros locais”, afirmou. “O mais recente relatório dava conta de vários prédios, incluindo este onde deflagrou o incêndio de hoje e onde estava alojado o ministério [serviços locais] da Saúde”, precisou o governante.