Mas só há uma forma de baixar um preço: mantendo a qualidade, porque é daquelas coisas em que não se pode mexer, a não ser que seja para fazer ainda melhor. É por isso que estão constantemente a estudar os produtos e a otimizar a forma de os produzir, embalar e transportar. Tudo para que ninguém dê por nada até chegar a altura de pagar. Menos, claro.

E design não é apenas estilo ou forma. São também os detalhes dos produtos e que fazem a maior das diferenças – desde a largura dos furos à espessura dos pinos de madeira, passando pela cabeça dos parafusos que se apertam com a chave Allen (entre outras coisas), que também lhes permitem otimizar a produção.

Além disso, falar de design é também falar de funcionalidade(s). É por isso que, quando desenham um produto, procuram sempre que cumpra o maior número possível de funções. Quem disse que um sofá não pode ser também uma cama e ainda ter arrumação – ou seja, ser mais? E assim poupar matérias-primas, tempo e custos? E pronto, a partir daqui é simples: pagar menos, por mais.

É este o conceito IKEA de um preço ainda mais baixo. Um preço que baixa apenas e só porque foi pensado para isso.

#aNossaCasa

Este conteúdo é da autoria da IKEA

Saiba mais em https://observador.pt/seccao/observador-lab/ikea-inspira/