Nissan

Nissan deixa de vender Pulsar na Europa

Os japoneses da Nissan estão cada vez mais focados nos SUV. E daí que tenham decidido interromper as vendas de automóveis convencionais como o Pulsar, na Europa, ou o Almera na Rússia.

Autor
  • Observador

O construtor japonês continua à procura de uma solução que lhe permita incrementar as vendas e os lucros. Com tudo a correr bem com a gama dos SUV, do Qasqhai ao Juke, passando pelo X-Trail, a Nissan está com algumas dificuldades em impor os automóveis convencionais, à excepção do utilitário Micra.

Em parte, o problema que a marca japonesa tem pela frente deve-se a uma consequência das suas próprias opções, pois se por exemplo no Qasqhai, X-Trail e Juke a Nissan apostou forte, visando ter um dos melhores veículos do segmento, com o Pulsar – à semelhança do que já tinha acontecido antes com o Almera – apontou substancialmente mais abaixo, tentando apenas propor um modelo mais barato e espaçoso, mas não tão sofisticado em qualidade nem em design.

O anúncio que a Nissan suspendeu a produção europeia do Pulsar em Junho e se prepara para fazer o mesmo com o Almera, na Rússia, ainda este ano, vem pois confirmar que as opções do fabricante falharam o target. De acordo com o comunicado do construtor, a descontinuação de ambos os veículos fica a dever-se “à mudança na vontade dos clientes, cuja preferência se deslocou dos veículos convencionais para os crossover”, sendo que isto não explica o facto de outros fabricantes continuarem a oferecer automóveis tradicionais na suas gamas, a começar pela Renault com o Mégane, empresa que lidera o grupo Renault-Nissan-Mitsubishi.

Após este anúncio, os únicos automóveis não SUV que a Nissan comercializa na Europa são o Micra e, curiosamente, o Leaf, o veículo eléctrico que é o mais vendido na Europa e, até Julho, no mercado global.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)